Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

SIDROLÂNDIA

Índios ameaçam invadir outras 25 fazendas até amanhã

12 MAI 2011Por Região News10h:56

Os índios terena da Aldeia Buriti, em Dois Irmãos do Buriti, que terça-feira à noite invadiram a Fazenda 3 R, pertencente a Roberto Bacha (ex-presidente da Iagro) ameaçam invadir até o fim da semana outras 25 propriedades, que somam 17.300 hectares, já reconhecidas pelo Governo Federal como terra indígena.

O temor é que se estabeleça um clima de confronto caso os índios cumpram a promessa de fechar a estrada vicinal que liga à sede da propriedade à área urbana de Sidrolândia. Cerca de mil índios terenas, entre homens, mulheres e crianças, invadiram a Fazenda 3R na noite de terça-feira.

Eles estão armados com facões, foices e armas artesanais e usam binóculos para vigiar a estrada. Roberto Rachid Bacha, proprietário da fazenda invadida está na Fazenda Buriti, vizinha 3R, e aguarda por uma solução. Segundo ele a propriedade foi depredada e já informou a situação a Secretaria de Justiça e Segurança e a Polícia Federal.

Conforme Bacha 25 produtores estão mobilizados. Na terça-feira, o coordenador regional da FUNAI/MS (Fundação Nacional do Índio), Edson Fagundes e chefe de Meio Ambiente da Fundação, Ricardo Araújo, foram feitos reféns pelos indígenas de etnia terena que invadiram a Fazenda 3R. Eles foram liberados à noite.

Segundo informações, Edson ficou refém por querer trocar o coordenador das aldeias em Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti, Samuel Dias, para colocar um parente. Os índios não aceitam a troca e pedem a permanência do chefe do posto da reserva atual ou a substituição pelo professor Maioque da aldeia Tereré ou Argeu Reginaldo, da aldeia Água Azul.

Esta é a segunda represália feita pelos índios para a substituição de Samuel Dias. Em março no ano passado dois funcionários da FUNAI também foram feitos reféns, porque os índios da reserva queriam que Argeu Reginaldo assumisse a coordenação. Os índios só liberaram os dois homens depois de uma negociação com a diretoria do órgão.

Em maio do ano passado, cerca de 100 indígenas da Aldeia Buriti fizeram o prefeito de Dois Irmãos do Buriti, Wlademir Volk, e mais 50 servidores reféns. Na ocasião, os terenas reclamaram que tiveram a promessa de repasse de recursos por parte da prefeitura, fato que acabou não acontecendo e motivando o protesto.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também