Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 09 de dezembro de 2018

Profissão de risco

Indicado ao Oscar, diretor de "Restrepo" é morto na Líbia

20 ABR 2011Por IG22h:00

O fotojornalista britânico Tim Hetherington, 40 anos, um dos responsáveis pelo documentário "Restrepo", morreu nesta quarta-feira (20), em um hospital da cidade de Misrata, na Líbia. A notícia foi repassada por correspondentes internacionais à imprensa e confirmada pelo fotógrafo brasileiro André Liohn, que também está cobrindo os conflitos no país, em seu perfil no Facebook.

Não foram divulgados detalhes sobre a morte, apenas que um grupo de profissionais estava registrando o front de batalha. O fotógrafo Chris Hondros, da agência Getty Images, está em estado grave. Outros dois fotógrafos, Guy Martin e Michael Christopher Brown, também foram feridos, mas estão fora de perigo.

Ontem, Hetherington havia publicado sua última mensagem no Twitter. "Estou em Misrata, a cidade está cercada e as forças de Kadafi atiram indiscriminadamente. Não há sinal da OTAN."

Hetherington codirigiu "Restrepo" junto com Sebastian Junger. O filme documenta um ano em uma base de guerra no Afeganistão, considerada o "lugar mais mortal do mundo" e batizada de Restrepo em homenagem ao soldado Juan Sebastián Restrepo, morto em combate. O documentário foi premiado no Festival de Sundance e recebeu uma indicação ao Oscar 2011.

O diretor também ficou famoso produzir material para a rede ABC News justamente sobre os conflitos no Afeganistão. Segundo James Goldston, um dos executivos da emissora, Hetherington era "um dos mais corajosos fotógrafos e cineastas" que já conheceu. "Durante uma dia de filmagem, ele teve uma fratura séria na perna durante um ataque a uma base de operações isolada. [Hetherington] teve a força e o caráter para caminhar por quatro horas durante a noite com o tornozelo estilhaçado sem reclamar, abaixo de fogo cruzado, para que todo o grupo chegasse a um lugar seguro."

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também