Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

recursos

Indenizações de R$ 17 irritam japoneses retirados da área radioativa

5 ABR 2011Por folha.com13h:30

Com indenizações de cerca de US$ 11 (R$ 17), a Tokyo Eletric Power Company (Tepco), empresa que opera a usina nuclear de Fukushima, no Japão, irritou os moradores que tiveram de ser retirados, e algumas prefeituras locais chegaram a rejeitar os recursos oferecidos.

Muitos vilarejos locais anunciaram que devem rejeitar a doação de cerca de 20 milhões de ienes (US$ 237 mil), que dividida pelo número de moradores retirados atinge quantias ínfimas de menos de R$ 20.

Uma porta-voz da cidade de Namie declarou que a oferta da Tepco foi rejeitada, o que permite que a municipalidade e a população possam criticar livremente a sociedade.

"A população local supera os 20 mil habitantes, o que faria com que cada residente recebesse menos de 1.000 ienes (cerca de R$ 17) cada um. Isso não ajuda os flagelados", argumentou.

Cerca de 80 mil pessoas residentes num perímetro de 20 km em torno da central acidentada pelo terremoto e tsunami de 11 de março se viram obrigadas a abandonar a região, deixando tudo para trás.

Além disso, muitos agricultores da província de Fukushima tiveram que suspender a comercialização de verduras e de leite devido ao índice elevado de radioatividade após o desastre nuclear.

O ministro da Indústria japonês, Banri Kaieda, declarou nesta terça-feira que ordenou à Tepco se prepare para pagar indenizações às populações mais atingidas.

Segundo a agência de notícias Kyodo, a sociedade deve calcular com o governo as enormes indenizações que deverá pagar às empresas, agricultores e pescadores prejudicados pelo acidente nuclear.

Leia Também