ASSENTAMENTO ITAMARATI

Incra vai à Justiça federal para barrar arrendamentos

Incra vai à Justiça federal para barrar arrendamentos
22/07/2012 08:04 - ITAMARATI NEWS


A grande quantidade de lotes arrendados para terceiros no Assentamento Itamarati está levando o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) a pedir à Justiça Federal a reintegração de posse dos lotes irregulares. Muitos mandados judiciais de reintegração de posse estão sendo cumpridos. Retirando os ocupantes irregulares, novas famílias já cadastradas e selecionadas pelo Incra serão reassentadas.

Logo que foi assentado, L.P., chegou a enfrentar ameaças e tentativas de intimidação por parte de assentados que arrendam suas parcelas. Enquanto plantava, L., ainda recebia ameaças. “Diziam que iam exterminar minha plantação. Mas eu plantei mesmo assim e colhi ninguém exterminou.” Ele sempre contou com o apoio do assentado J.S.F., morador de um lote vizinho, que também não se deixou intimidar.

O impacto de arrendamento de lotes tem sido tão perverso que esta produzindo uma reconcentração fundiária no Assentamento Itamarati: uma única pessoa já comprou até dez lotes ou mais, cujas divisas foram removidas, convertendo-se em uma monocultura de soja.

Essa situação, foi um dos motivos que levou o Incra a pedir para a Justiça Federal a retomada desses lotes irregulares. Agora, por meio do trabalho de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), o órgão vem incentivando o desenvolvimento sustentável e a produção de alimentos no assentamento.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".