Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 10 de dezembro de 2018

Assentamentos

Incra desbloqueia verba de R$ 44 milhões para o MS

13 ABR 2011Por DA REDAÇÃO10h:31

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) desbloqueou os recursos para Mato Grosso do Sul. A maior fatia, de R$ 44 milhões que vinham sendo aplicados na construção de moradias nos assentamentos, voltará a ser liberada nos próximos dias,colocando um fim no desespero de famílias que estão com as obras de construção de suas casas paralisadas desde o final do ano passado, quando estourou escândalos de corrupção interna no instituto no Estado.

Os recursos de outros projetos para MS, inclusive para vistoria de novas áreas para reforma agrária, também serão liberados. A garantia foi dada ontem pelo próprio presidente do órgão, Celso Lacerda que recebeu uma delegação de 50 sindicalistas ligados à Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Mato Grosso do Sul (Fetagri) que se dirigiu à capital federal com esse propósito: pedir a reativação do órgão no Estado.

“Celso Lacerda nos recebeu, nos ouviu e entendeu o drama que Mato Grosso do Sul vem atravessando com a paralisação das atividades do INCRA na região desde que os trabalhos foram interrompidos por denúncias de fraude interna do órgão”, comentou Adão de Souza Cruz, secretário de Política Agrária e Meio Ambiente da Fetagri, que integra a comitiva de Mato Grosos do Sul.

O presidente do Iincra, segundo Adão de Souza, prometeu a imediata liberação dos recursos e projetos que estavam emperrados. Além da liberação dos R$ 44 milhões para construção de moradias, o órgão vai liberar também R$ 428 mil para vistoria de áreas para reforma agrária.

A direção nacional do órgão deverá também nomear nos próximos dias um novo superintendente para o órgão em Mato Grosso do Sul. Esse assunto foi tratado também pelo governador André Puccinelli, na manhã de ontem, com o presidente do instituto.

Dia 26 de abril, dirigentes nacional do instituto vêm a Mato Grosso do Sul para uma reunião com a Fetagri e Ministério Público Federal para discutir alguns assuntos relativos aos problemas locais. Vão discutir também sobre o retorno do fornecimento de cestas básicas para 17 mil famílias ligadas à federação e que estão assentadas ou acampadas no Estado.

O presidente da Fetagri/MS, Geraldo Teixeira de Almeida está otimista com a repercussão do envio de 50 sindicalistas a Brasília para uma audiência com o presidente do INCRA e forçar a resolução dos problemas gerados no Estado após as denúncias de corrupção interna do órgão. “O processo de reforma agrária não pode parar. Se houver irregularidades é preciso sim investigar e punir quem quer que seja”, comentou o presidente da federação.

Com informações do Sul News

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também