Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

DILMA ROUSSEF

Inconfidentes comparados às vítimas da ditadura

21 ABR 2011Por Folha15h:27

A presidente Dilma Rousseff participou nesta quinta-feira (21) das homenagens do Dia de Tiradentes, em Ouro Preto (MG), e traçou paralelos entre a luta dos inconfidentes mineiros no século 18 e o combate à ditadura militar (1964-1985).

Os restos mortais de três inconfidentes foram sepultados ao lado de outros mártires no museu que existe na cidade em homenagem ao movimento.

O museu fica em frente à praça onde partes do corpo de Tiradentes foram expostas à população em 1789.

Dilma lembrou que os inconfidentes que tiveram os corpos recém-sepultados morreram na África e disse: "Eles foram exilados por haverem se atrevido a desejar um Brasil independente. Na nossa história, muitos tiveram que se exilar por desejar também liberdade e democracia".

A presidente disse ainda que cada conquista do povo brasileiro é reflexo do sonho dos inconfidentes e lembrou de sua prisão pelos militares.

"Os brasileiros e brasileiras que, como eu, sofreram na pele os efeitos da privação de liberdade sabem o quanto a democracia institucional faz falta quando desaparece."

Após a cerimônia, a presidente, ministros e outras autoridades seguiram para um almoço na fazenda do ex-ministro Walfrido dos Mares Guia.

No cardápio, especialidades da cozinha mineira, como pernil de leitoa caipira, taioba e purê de banana da terra. Como sobremesa, doces de Paracatu e Pará de Minas.

Leia Também