CIDADES

Incêndio destrói barracão e atinge área de reserva de universidade

Incêndio destrói barracão e atinge área de reserva de universidade
12/09/2010 14:56 -


DANIELLA ARRUDA  e MICHELLE ROSSI

Incêndio que teve início por volta das 10 horas de ontem destruiu um barracão, a área de pasto e de reserva do campus da Anhanguera/Uniderp, na Chácara dos Poderes, em Campo Grande. Funcionários da instituição acionaram o Corpo de Bombeiros, que utilizou quatro caminhões-tanque, cerca de 15 mil litros de água, mais abafadores para conter as chamas. Diversas estruturas metálicas foram consumidas pelo fogo e um prédio de alvenaria ficou com as paredes chamuscadas.
Além do campus da universidade, o fogo também alastrou-se por algumas chácaras próximas e somente no fim da tarde o incêndio foi controlado. Não há informações sobre o que teria provocado o incêndio.

Pantanal
Com a estiagem que já dura quase três meses em alguns pontos do Estado, várias ocorrências de incêndio vêm sendo registradas. No Pantanal, uma base foi montada na sede do Parque Estadual do Rio Negro, onde queimada atinge a mata nativa há 5 dias. A previsão é de que os 25 brigadistas mais 4 bombeiros que estão atuando no combate ao fogo fiquem no local pelo menos por mais 10 dias, ou até que a situação esteja controlada.  
De acordo com o coordenador do Prevfogo, Márcio Yule, a base está localizada na sede do Parque e já conta com equipamentos de comunicação via satélite. Ainda não há informações sobre a extensão do fogo que até sexta-feira atingia pelo menos mil hectares.  
O incêndio teria começado nas proximidades da sede do Parque e há possibilidade de ter sido provocado.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".