Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

Implantes de seio podem provocar câncer raro

29 JAN 2011Por Veja04h:36

Implantes de seio podem causar um pequeno mas significativo aumento do risco de um tipo de câncer extremamente raro e tratável. O alerta foi feito nesta quarta-feira pela Food and Drug Administration, o FDA (órgão americano que controla alimentos e remédios). O risco ocorre em implantes salinos ou de silicone, feitos tanto em reconstruções após cirurgia de câncer ou para o simples aumento estético.

O câncer, chamado linfoma anaplásico de grandes células, envolve o sistema imunológico e não é um tipo de câncer de mama. Normalmente, ele se caracteriza por uma doença sistêmica, mas nos casos de implantes o linfoma cresce geralmente na cápsula de tecido cicatrizado que se forma ao redor do implante. Os casos foram descobertos em mulheres que desenvolveram sintomas muito tempo depois da cirurgia – nódulos, dor, assimetria dos seios, acúmulo de líquidos e inchaço.

Casos registrados - Até agora, a agência afirmou que soube de cerca de 60 casos em todo o mundo, um número pequeno se comparado aos 5 a 10 milhões de mulheres com implantes. Mas, mesmo que pequeno, o número parece excessivo quando comparado à incidência normal da doença: esse tipo de linfoma no seio é encontrado normalmente em apenas três a cada 100 milhões de mulheres que não têm implantes.

Como o risco parece ser pequeno, a FDA afirmou que "os dados existentes permitem a continuação da comercialização e uso de implantes de seio". Mas também registrou que as mulheres que cogitam fazer implantes devem primeiro discutir as informações com seus médicos.

Pós-cirúrgico - “As mulheres com implantes que não têm sintomas não precisam fazer nada de especial ou alterar sua rotina de cuidados com a saúde”, diz Maisel. Mas, de acordo com o especialista, elas devem prestar atenção a qualquer alteração e procurar o médico se houver inchaço, nódulos ou outros sintomas.

Como há poucos dados sobre o linfoma, segundo Maisel, a agência "não está confortável para recomendar um tratamento específico. Os casos podem ser diferentes e mulheres que têm a doença precisam ser tratadas por um cirurgião de mama e um oncologista. O mercado mundial de implantes de seio é de aproximadamente 820 milhões de dólares e cresce 8% por ano, segundo dados da indústria.

Leia Também