Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

PORTO MURTINHO

Ilhados e sem comida, paraguaios pedem socorro

14 JAN 14 - 00h:00DA REDAÇÃO

Em função do isolamento com a chuvarada que cai desde o primeiro dia do ano sobre San Lázaro e Vallemi, autoridades dos distritos paraguaios, habitados por ao menos 20 mil pessoas, pediram socorro ao prefeito de Porto Murtinho, Heitor Miranda, do PT, segundo reportagem na edição desta terça-feira (14) do jornal Correio do Estado.

Sem ter onde recorrer, as duas comunidades, já sem comida e remédios, querem a autorização do governo brasileiro para atravessar uma embarcação paraguaia até o município sul-mato-grossense, onde pretendem comprar mantimentos.

Segundo a reportagem de Celso Bejarano, no sábado, as autoridades assinaram em Porto Murtinho um protocolo de emergência, acordo que deve permitir a navegação pelo rio Apa, que corre sobre solo brasileiro e paraguaio.
A permissão depende do aval do governo federal, por se tratar de um rio internacional, de estrutura do lado brasileiro, no caso.

“Não temos alternativa. Porto Murtinho é a cidade mais próxima [60 km por terra mais 45 minutos de navegação] e mais estruturada para fornecer o que nossas comunidades precisam. Estamos sem abastecimento há 15 dias. Ficamos sem víveres, principalmente leite, carne, iogurte, verduras e frutas, além de outros artigos de primeira necessidade”, disse o intendente [prefeito] do distrito paraguaio de San Lázaro, Celso Ovelar Daspett. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Conheça a garota de 15 anos que se destaca nas artes plásticas
TALENTO

Conheça a garota de 15 anos que se destaca nas artes plásticas

ANTISSEMITISMO

Confederação Israelita do Brasil decide processar Ciro Gomes

Árvore na calçada impede passagem e coloca segurança de pedestres em risco
FALTA DE ACESSIBILIDADE

Árvore impede passagem em calçada e traz riscos; Veja vídeo

MINAS GERAIS

Quase 3 meses após tragédia, 32 barragens da Vale estão interditadas

Mais Lidas