Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

VATICANO

Igreja diz ter expulsado 400 religiosos acusados de pedofilia

18 JAN 14 - 15h:53FOLHA PRESS

O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, afirmou hoje que 400 religiosos foram expulsos da Igreja Católica entre 2011 e 2012, durante o pontificado de Bento 16, por acusações de pedofilia.

O agora papa emérito foi muito criticado por não reagir ao escândalo de abuso sexual.

O anúncio é feito dois dias após o depoimento do embaixador da Santa Sé na ONU, Silvano Tomasi, ao Comitê de Direitos da Criança das Nações Unidas, em que negou as acusações de que o Vaticano teria acobertado os sacerdotes.

Lombardi afirmou que foram afastados 300 padres em 2011 e outros cem em 2012. As expulsões foram feitas após uma década de escândalos de abusos sexuais cometidos por religiosos contra crianças, que começou na Irlanda e se estendeu para Alemanha, Estados Unidos e México.

Em alguns casos, a pedofilia foi encoberta pelos superiores dos acusados, que os transferiram para outras paróquias, em vez de denunciá-los à polícia. Em 2005, Bento 16 havia prometido afastar todos os que acobertassem abusos sexuais dentro da Igreja, mas não conseguiu.

Na quinta, a ONU pediu atuação firme do Vaticano em relação aos religiosos infratores. Em resposta, o representante da Santa Sé criticou a acusação de estaria tentando encobrir os crimes e que os abusadores serão punidos de acordo com o direito canônico.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Homem é morto a tiros ao chegar na casa da namorada
PONTA PORÃ

Homem é morto com 16 tiros na fronteira

MUNDO

Manifestantes em mais de 150 países defendem meio ambiente

MUDANÇAS

Sancionada MP que permite que bancos abram aos sábados

Professores também podem lecionar no domingo
Deputado é criticado por <br> fazer copia e cola de lei federal
PROTEÇÃO DE DADOS

Deputado é criticado por
fazer copia e cola de lei federal

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião