terça, 17 de julho de 2018

ACIDENTE

Idosa morre atropelada na Mascarenhas

3 OUT 2010Por Silvia Tada e ANAHI ZURUTUZA00h:00



Lenice Rodrigues de Arantes, de 73 anos, morreu depois de ser atropelada na Avenida Mascarenha de Moraes, em Campo Grande, na noite de anteontem. Ela atravessava a via com o neto, Junice Jesus Carvalho Arantes, de 24 anos, quando foram colhidos pela picape Fiat Strada conduzida por Diego de Souza Alves, de 28 anos. Com o impacto, a idosa foi arremessada contra o para-brisas, passou por cima da cabine e caiu na carroceria.
Conforme informações no boletim de ocorrência, o acidente aconteceu às 20h25min de sexta-feira. O carro seguia no sentido bairro-centro quando, na altura do cruzamento com a Rua Sacramento, houve o acidente. O motorista parou 72,5 metros depois do local, segundo consta nas informações prestadas pelos policiais militares que foram até o local. O jovem atropelado que estava com a avó teve ferimentos leves em um dos braços.
No ponto do atropelamento foram encontrados pedaços do retrovisor, para-lamas e chinelos. O condutor passou por teste de alcoolemia, que apresentou resultado negativo. O fato foi registrado como homicídio culposo na direção de veículo automotor pela Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac).

Outro acidente
Ainda ontem, pela manhã, o jovem Bruno Eiji Guibu, 24 anos, condutor de um veículo Gol G4 de cor preta, perdeu o controle da direção e caiu no Córrego Prosa, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, em frente à Universidade Anhanguera (antiga Unaes). O Corpo de Bombeiros foi acionado para atender à ocorrência às 6h por motoristas que passavam pelo local. O rapaz, segundo informaram testemunhas à Companhia Independente de Policiamento de Trânsito (Ciptran), apresentava “sinais de embriaguez”.
O condutor foi socorrido pelos bombeiros e encaminhado, com ferimentos leves, ao Centro Regional de Saúde do Bairro Tiradentes. No momento em que o carro caiu no córrego, segundo os bombeiros, ainda não chovia forte e o nível da água ainda era baixo. Entretanto, por conta da chuva, por volta das 8h, o nível da água do Prosa começou a subir, o Gol ficou praticamente encoberto e passou a ser arrastado pela correnteza.
Apesar disso, somente à tarde o carro foi retirado do córrego, porque, segundo a Ciptran, não havia guincho disponível no Departamento Estadual de Trânsito (Detran)  e a família de Bruno Guibu ainda não havia sido localizada para que policiais de trânsito informassem se seria necessária a contratação de guincho particular.

Leia Também