Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 16 de outubro de 2018

Idosa é decapitada e carbonizada. Cabeça desaparece

14 MAI 2010Por 05h:58
karine cortez

Noely Soares de Oliveira, 71 anos, foi encontrada na madrugada de ontem decapitada e carbonizada dentro da própria residência, que ficou parcialmente destruída pelo fogo. A cabeça da mulher não foi encontrada no local e até o início da noite a polícia ainda estava à procura da parte do corpo. A vítima residia na Rua Caruru, no Jardim Canguru, região da saída para São Paulo. A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que em 1999 Noely foi presa em flagrante pelo crime de tráfico de drogas. O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac).

O irmão da idosa, Altamir Soares de Oliveira, 67 anos, que mora em um quarto nos fundos da casa de Noely, disse que não sabe o que aconteceu e que só tomou conhecimento do incêndio quando os vizinhos foram tirá-lo do imóvel. “Eu sou viúvo e ela também era, por isso a gente morava junto. Era ela que cuidava de mim, que fazia tudo para mim. Tenho problemas de saúde e nem andar direito eu consigo”, disse Altamir.

O adolescente Júnior de Souza, 17 anos, apareceu no local e se identificou como neto por consideração de Noely. Ele disse que foi para a residência por volta das 5h20min, depois de receber telefonema de um homem identificado como Adão, que seria ex-amásio da vítima. “Ele me ligou e disse que a casa da minha avó estava pegando fogo. Quando cheguei aqui estava o bombeiro e a polícia, mas não encontrei o Adão. Liguei várias vezes para ele e ele não me atendeu. Quando era umas 7h30min ele atendeu o celular e disse que estava trabalhando, e só”, contou o jovem. Ele afirmou que a mãe dele era muita amiga da vítima e por isso se considerava neto de Noely. “Conheço ela desde pequeno e sempre chamei ela de vó”, contou.

Vizinhos de Noely, que não quiseram se identificar, disseram que foram avisados pelo vigia da rua que a casa estava pegando fogo. “Corremos lá e começamos a bater na porta, mas ninguém respondia. Daí fomos no quarto dos fundos e o Altamir estava dormindo. A gente chamou e ele não queria sair, daí puxamos ele e tiramos de lá. Não vimos ninguém de estranho na casa durante a noite”, enfatizou. O Corpo de Bombeiros esteve no local do episódio e disse que a casa ficou comprometida, correndo risco de desabar. Até o fechamento desta edição também não havia sido divulgado por onde o fogo começou. A 5ª Delegacia de Polícia investiga o caso e ontem mesmo começou a ouvir familiares e vizinhos da idosa.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também