Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ENSINO

Ideb sobe para 4,6 e aponta melhora na educação pública

2 JUL 10 - 06h:41
BRASÍLIA

O desempenho da educação básica no Brasil em 2009, medido pelo Índice de Educação Básica (Ideb), ficou acima da meta estabelecida pelo Ministério da Educação. De acordo com balanço divulgado pelo MEC ontem, em Brasília, estudantes de primeira a quarta série de escolas públicas de todo o País alcançaram uma nota média de 4,6 numa escala que vai de 0 a 10. A meta do ministério era 4,2.

Já os alunos de quinta a oitava série de escolas públicas obtiveram nota 4,0, quando a expectativa do MEC era que atingissem nota 3,7. O índice leva em consideração o desempenho de 31,7 milhões de alunos.

Os estudantes do Ensino Médio das escolas públicas obtiveram notas pouco melhores que a meta do MEC: 3,6 ante previsão de 3,5. No total, foram avaliados pouco mais de 8,3 milhões alunos do Ensino Médio. O objetivo é chegar a uma média superior a 6,0 em 2021. Os números foram apresentados pelo presidente do Inep, Joaquim José Soares Neto.

De acordo com os dados divulgados pelo MEC, a taxa de aprovação para os três ciclos - anos inicias e finais do Ensino Básico e Ensino Médio - também aumentaram. Em 2009, 88,5% dos alunos de 1ª a 4ª série, 81,3% dos estudantes de 5ª a 8ª série e 75,9% dos alunos do Ensino Médio foram aprovados.

Revisão das metas
O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse ontem que as metas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) para as escolas e redes de ensino poderão ser revistas a partir da próxima avaliação, já que os objetivos têm sido antecipados nas duas últimas edições do índice.

“Entendo que o Inep pode convidar um grupo de pesquisadores para começar a avaliar a necessidade e a oportunidade de fazer isso agora”, disse.
Mas, segundo ele, as metas nacionais do índice não devem ser alteradas por enquanto. “Temos que ter um pouco mais de cautela, porque o esforço para melhorar é cada vez maior e vai exigir mais ciência, mais interação entre os entes federados para que possamos atingir os nossos objetivos”, disse.

O Plano de Desenvolvimento da Educação estabelece a meta de que o Brasil atinja a nota 6 no Ideb até 2022 - média que corresponde a um sistema educacional de qualidade comparável ao dos países desenvolvidos. Para Haddad, apesar de estar longe de suas metas, o País está no caminho certo.

O Ideb mede a qualidade do ensino oferecido pelas escolas públicas com base na nota da Prova Brasil e nos índices de reprovação. No ano passado, a Prova Brasil foi aplicada nos anos iniciais do ensino fundamental em 5.467 municípios para 2,5 milhões de alunos. Nos anos finais, a prova foi aplicada em 5.498 municípios para 2 milhões de alunos. Também participaram da avaliação 56,3 mil alunos do 3° ano do ensino médio em 750 escolas.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

COMITIVA

OCDE conclui missão no Brasil sobre medidas de combate à corrupção

Cuesta deixa escapar acerto do Internacional com o técnico argentino Coudet
FUTEBOL

Cuesta deixa escapar acerto do Internacional com o técnico argentino Coudet

ASILADO NO MÉXICO

Em novo dia de protestos, Evo diz que pode voltar à Bolívia para 'pacificar' país

BRICS

Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião