Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 16 de dezembro de 2018

OPERAÇÃO PIRACEMA

Ibama e PMA apreendem armas, redes, pescados e aplicam multas

9 MAR 2011Por DA REDAÇÃO16h:55

Armas, redes, tarrafas, motores de popa. pescado e 11 autos de infração que somam R$ 35,5 mil foram o resultado da fiscalização conjunta do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Polícia Militar Ambiental no período da Piracema.

De acordo com o Ibama, foram apreendidas quatro armas, incluindo com silenciador, no Rio Piquiri, na divisa dos municípios de Coxim e Sonora (região norte do Estado).

Outra arma foi apreendida no Rio Taquari na região de Pedro Gomes, também no norte do Estado.  Além das armas foram apreendidos mil e quarenta metros de rede e 90 quilos de pescado abaixo das medidas exigidas pela legislação. Foram apreendidas também 13 tarrafas, 2 motores de popa e foram lavrados 11 autos de infração com multas que somaram R$35.500 mil reais.

Dois pescadores foram presos e vão responder por pesca ilegal e porte irregular de armas.

Outros nove pescadores foram flagrados por prática de pesca predatória. A maior parte dos pescadores veio do interior de São Paulo, incluindo os que portavam armas ilegais.

De acordo com o chefe da Divisão de Proteção Ambiental do Ibama a Operação Piracema cumpriu o papel de marcar a presença da fiscalização em áreas pouco exploradas e mais remotas do pantanal de Mato Grosso do Sul.

A operação começou no dia 25 de fevereiro com duas equipes em ação. Uma  no Rio Apa na região do Nabileque, no pantanal sul e outra no Rio Paraguai próximo a Corumbá. Nessa região de fronteira do Brasil com o Paraguai e a Bolívia a maior pressão da pesca predatória vêm também da presença de populações ribeirinhas dos dois países fronteiriços. Depois as equipes foram deslocadas para a região norte do pantanal, onde foram feitas a maioria das apreensões.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também