Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

sábado, 16 de fevereiro de 2019 - 15h31min

Hospital vai ampliar leitos em 500%

23 FEV 10 - 03h:56
O Hospita l do Câ ncer Alfredo Abrão, em Campo Grande, vai ampliar o seu complexo hospitalar com a construção de prédio de nove andares para ser anexado à atual edificação (localizada na Avenida Ernesto Geisel, na esquina com a Rua Cândido Mariano). Atualmente, atende 300 pessoas por dia, segundo informações da assessoria de comunicação da instituição. Com a construção deste prédio, o número de leitos passará de 49 para 289, enquanto o de atendimentos deverá ser seis vezes maior. A pedra fundamental da obra será lançada no dia 8 de março e o prédio, construído numa área de 8 mil metros quadrados em terreno que já foi adquirido pela Fundação Carmen Prudente de Mato Grosso do Sul – administradora do hospital. A previsão de término dos serviços é de pelo menos dois anos, no terreno ao lado do hospital, na Rua Cândido Mariano. O orçamento total, com o prédio em funcionamento, é de R$ 30 milhões, sendo que R$ 5 milhões já estão garantidos por doação de pessoa física (um empresário da cidade). Segundo a assessoria de comunicação do hospital, a obra será lançada, mas a esperança é receber apoio das secretarias de Saúde, tanto do Estado quanto do município. No entanto, os pedidos ainda não foram encaminhados oficialmente para os órgãos competentes. Outra saída para conseguir a verba é por meio de emenda parlamentar e, de acordo com o hospital, o senador Delcídio do Amaral (PT) está à frente das negociações, mas ainda não há recurso carimbado para o investimento. A assessoria lembra que eventos beneficentes são promovidos pelo hospital e costumam ajudar nas despesas e também na construção de complexos. O mesmo tipo de arrecadação, mais doações de pessoas físicas, estão previstos, para a construção do prédio e para a manutenção da nova equipe, além, é claro, dos repasses do Sistema Único de Saúde. Demanda “A equipe há muito tempo precisava ser ampliada para atender tanto aos casos de tratamento, cirurgias quanto para prevenção”, resume o diretor clínico do hospital, Issamir Saffar. No local, são feitos diagnósticos, tratamento, com quimioterapia, radioterapia e cirurgias para retirada de tumores, em atendimento para a população de todo o Estado – cerca de 98% deles são por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) enquanto os outros 2% são subsidiados por convênios. “No novo prédio, também o diagnóstico será mais detalhado. Além de equipamentos que já existem para exames de tomografia, mamografia e ultrassonografia, o hospital terá uma máquina para pet scan (que funciona como um scanner de altíssima precisão)”, explica o diretor clínico. Com o anúncio da obra, outra ala que ganhará incremento de serviços médicos é a de atendimento infantil, inaugurada em dezembro do ano passado em ala especial, e que será ampliado no novo prédio. Segundo o hospital, o atendimento a crianças diagnosticadas com câncer era feito em área comum a dos adultos. Com a recente inauguração da ala para este público, foram criadas a “Quimioteca” e “Brinquedoteca” e, no novo prédio, o número de procedimentos para as crianças também vai aumentar. “Teremos atendimentos especializados para adultos e crianças, uma demanda que há muito tempo existia”, observa o diretor clínico. A pesquisa também será beneficiada na nova sede, com a construção de um anfiteatro para encontros científicos viabilizados principalmente por meio de convênio do hospital com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Incidência O I n st it uto Nac ion a l do Câncer (Inca) prevê que 489.270 novos casos da doença serão diagnosticados em todo o Brasil em 2010 e, só em Mato Grosso do Sul, devem descobrir que são portadores de câncer 3.180 pessoas neste ano. A doença é a segunda causa de morte nos países da América Latina. Segundo estimativas do Instituto Nacional de Câncer, os tipos mais incidentes na população brasileira são: câncer de pele não melanoma, seguido do de próstata, do de mama e do câncer de pulmão.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

FIM DA ANGÚSTIA

Familiares de mulher que teve o corpo furtado realizam terceiro sepultamento

Rosilei Potronieli, de 37 anos, foi assassinada na semana passada em Terenos
MEIO AMBIENTE

Ministro contraria Ibama e diz que plantação em área indígena não é ilegal

Ambulância é arrombada e furtada  em pátio da Central de Regulação
CAMPO GRANDE

Ambulância é furtada em pátio da Central de Regulação

Goleiro Jefferson afirma não ter sido chamado para seleção por racismo
FUTEBOL

Goleiro Jefferson afirma não ter sido chamado para seleção por racismo

Mais Lidas