Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

'SANGUE FRIO'

Hospital do Câncer resgata confiança <br> 1 ano depois

Hospital do Câncer resgata confiança <br> 1 ano depois
19/03/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


Há exato um ano depois da operação Sangue Frio, da Polícia Federal, o Hospital de Câncer Alfredo Abrão, em Campo Grande, mantido por recurso público, e a Rede Feminina de Combate ao Câncer, ambos da Fundação Carmem Prudente, vivem uma espécie de ressurreição financeira. A reportagem está na edição de hoje (19) do jornal Correio do Estado.

As entidades, que funcionam num mesmo prédio, tentam se reerguer depois de desmoronar a quadrilha que supostamente fraudava licitações e superfaturava serviços hospitalares.

Ano passado, desde o escândalo (19.03.2013) que motivou a queda dos ex-diretores do Alfredo Abrão, por exemplo, o hospital recebeu, por meio de emendas parlamentares da bancada federal, em torno de R$ 1,5 milhão.

Já para o ano que vem, a promessa é que caia no caixa da clínica, a qual atende em torno de 200 pacientes com câncer, por dia, algo em torno de R$ 11 milhões, captados por meio de indicações dos três senadores e oito deputados federais de MS, segundo a reportagem de Celso Bejarano.
 

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?