Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Terapia

Hormônio do estresse é testado para reduzir fobia de altura

30 MAR 11 - 07h:00Folha

O cortisol, hormônio liberado em situações de estresse, melhora os efeitos da terapia de combate a fobias.

Estudo realizado por pesquisadores de diversos centros científicos, entre eles a Universidade de Basileia, na Suíça, testou a substância em 40 pessoas com acrofobia (medo de altura).

Os voluntários foram submetidos a três sessões de terapia de exposição --uma simulação de ambientes altos criada por realidade virtual.

Uma hora antes das sessões, metade dos pacientes tomou uma dose de cortisol e a outra metade, placebo.

Os participantes responderam a questionários para avaliar o nível de fobia após a última sessão de terapia.

Entre aqueles que tomaram cortisol, houve uma queda de 59% na pontuação de fobia. No outro grupo, a queda foi de 40%.

Para Dominique de Quervain, professor de psicologia na Universidade de Basileia e um dos autores do estudo, os achados indicam que os efeitos da psicoterapia contra a fobia podem ser reforçados pelo uso de remédios.

"O cortisol auxilia a terapia de exposição ao agir no aprendizado e na memória", explicou à Folha. "Ele inibiu a recuperação da memória do medo e armazenou experiências corretivas."

O psiquiatra Antônio Guerra Vieira Filho, do Hospital Sírio-Libanês, afirma que a ação do cortisol pode ser útil para pacientes que não respondem à terapia.

"Quando a pessoa é exposta à situação que ela sabe que é segura [a simulação], o cortisol facilita o aprendizado dessa experiência."

CORREÇÃO E REFORÇO

A terapia de exposição tem como objetivo "corrigir" a fobia, ao colocar a pessoa, aos poucos, em contato com o que ela teme.

"Quando ela se expõe a essas experiências que causam medo desproporcional, fica habituada", diz Mariângela Savoia, psicóloga do programa de ansiedade do Instituto de Psiquiatria da USP.

"A memória é importante na formação da fobia. Ela associa um estímulo, como a altura, a um risco. O cortisol faz a pessoa evocar menos esses pensamentos irreais", afirma Vieira Filho.

Segundo ele, não há contrassenso entre o papel do cortisol no estresse e na redução da fobia. "O hormônio opera em vários locais do cérebro. A ação no estresse é só uma de suas propriedades."

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Deputados querem impedir exageros <br>do Ministério Público Estadual
POLÍTICA

Deputados querem impedir exageros
do Ministério Público Estadual

Bolsonaro participa de assinaturas de contratos do setor elétrico
PRESIDENTE

Bolsonaro participa de assinaturas de contratos do setor elétrico

Gente trabalhando
CANAL 1 - FLÁVIO RICCO

Gente trabalhando

ACERTO

Usuário é baleado na perna por dupla de moto perto do Ceasa

Caso pode estar ligado com dívidas do tráfico de drogas

Mais Lidas