quinta, 19 de julho de 2018

Alerta

Homens são as principais vitimas de acidentes de trânsito

28 DEZ 2010Por Agencia do Radio22h:31

Em período de festas de fim de ano aumenta a movimentação nas rodovias de todo o País e, conseqüentemente, sobe o número de acidentes de trânsito. Os homens são tradicionalmente as principais vítimas nesse tipo de desastre.

O assunto é tratado como problema de saúde pública, já que no Brasil o acidente de trânsito é uma das principais causas de morte entre os homens de 20 a 24 anos. Por esta razão, com a proximidade do feriado de Ano Novo, o Ministério da Saúde lança um alerta a toda a população, mas em especial aos homens que vão pegar estrada neste Reveillón.

O diretor do Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas do Ministério da Saúde, José Luiz Telles, explica que um dos grandes perigos é o consumo de álcool antes de dirigir. "O primeiro alerta que nós fazemos é o consumo de álcool. Isso realmente afeta a direção, afeta os reflexos e o consumo de álcool está na grande maioria dos acidentes associado; segundo, são os homens que se arriscam mais, que se expõe mais aos perigos, são mais ousados na direção, portanto, pensar em se cuidar, o cuidado nas estradas, o cuidado na direção é essencial para que as pessoas possam passar esse final de ano muito bem."

Mudar esse antigo hábito que os homens têm de arriscar mais a própria vida é um dos objetivos da Política Nacional de Saúde do Homem, lançada ano passado pelo governo federal. Segundo José Luiz Telles, a idéia do Ministério da Saúde é mudar essa tradição prevalente no Brasil de que apenas a mulher precisa se cuidar.

"O principal mote da campanha trata de que homem que é homem se cuida. Portanto, nós estamos trazendo uma cultura de auto-cuidado, uma preocupação com sua própria vida, coisa que não é comum entre os homens."

Além do Brasil, a violência no trânsito está entre as questões de saúde pública relacionadas à população masculina que mais preocupam países como Chile, Uruguai, Paraguai e Bolívia. De acordo com o Ministério da Saúde, a cada três mortes de pessoas adultas, duas são de homens. Segundo o governo federal, os homens vivem, em média, sete anos menos do que as mulheres e têm maior incidência de doenças do coração, câncer e diabetes.

Leia Também