Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRASIL/MUNDO

Homem mata 8 em revenda de bebidas

Homem mata 8 em revenda de bebidas
04/08/2010 08:39 -


AGÊNCIA ESTADO, MANCHESTER,

Oito pessoas morreram em decorrência dos disparos feitos por um funcionário descontente de um atacadista de bebidas alcoólicas em Manchester, Connecticut, informou o jornal Hartford Courant, citando fontes policiais. Omar S. Thornton, de 34 anos, entrou no Hartford Distributors e fez disparos contra os funcionários com um rifle semiautomático calibre .223 antes de virar a arma contra si mesmo.
Segundo John Hollis, funcionário do sindicato Irmandade Internacional dos Caminhoneiros, Thornton era motorista da empresa e fora contratado havia cerca de um ano. Ele deveria participar de uma audiência disciplinar ontem.
A polícia de Manchester recusou-se a confirmar o número de mortos, afirmando apenas que houve “múltiplas vítimas” e “múltiplas fatalidades”.
O hospital Hartford confirmou ao canal Fox News, na manhã de ontem, que um dos três pacientes internados por causa dos ferimentos havia morrido. Um outro estava em estado grave e o terceiro, estável.
A polícia contesta a informação de que as autoridades entraram no armazém da Hartford Distributors “disparando violentamente”. O tenente Joe San Antonio disse que a polícia não descarregou suas armas quando soube dos disparos. Segundo ele, a polícia encontrou o atirador, alvejado por um tiro, durante uma busca pelo prédio.
Mais cedo, ontem, Brett Hollander, diretor de marketing da empresa, disse ao Hartford Courant que quando a polícia entrou no prédio onde o atirador estava, “eles entraram disparando violentamente”.
Hollander disse que havia entre 35 e 40 pessoas no escritório e no armazém da empresa quando os disparos começaram, pouco antes das 7h30min (horário local), 8h30min, horário de Brasília.

Felpuda


Engana-se quem acha que diminuiu a voracidade de ter fatia de cobiçado bolo por parte de “quem manda”. O recuo realmente houve, mas só por enquanto e por uma questão de estratégia, até porque, nas primeiras investidas, as portas não se abriram. E continuam fechadas. Mas quem conhece bem a dita figurinha aposta que ela não desistirá até encontrar, digamos,  um “chaveiro amigo”. Essa gente não sossega nem diante da pandemia... Afe!