Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

CRIME INAFIANÇÁVEL

Homem é preso acusado de discriminar liderança indígena

26 OUT 2010Por FAUSTO BRITES15h:18

"Ô seu bugre, vai pegar macaco no mato". A frase dita por Paulo Roberto Schiller, 51 anos, bastou para que o líder da aldeia indígena Sete Cerros, identificado pelos iniciais P.V, 36 anos, registrasse queixa na delegacia de polícia de Paranhos (MS), às 9h desta terça-feira (26). Ele disse que sistematicamente era alvo de comentários dessa natureza, por parte de Paulo, devido à sua etnia.

O acusado foi preso imeditamente por injúria preconceituosa ou racial (artigo 140, parágrafo 3º do Código Penal Brasileiro) e transferido para a cidade vizinha de Sete Quedas uma vez que se trata de crime inafiançável. A pena prevista pode chegar a três anos de reclusão, segundo a polícia.


 

Leia Também