Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPERANÇA

Homem com 70 tumores ganha sobrevida com novo tratamento

Homem com 70 tumores ganha sobrevida com novo tratamento
26/02/2014 19:10 - CM


Um novo tratamento para o cancro, colocado em prática pela clínica ‘The Christie’, em Manchester, no Reino Unido, salvou a vida a um homem com 70 tumores malignos espalhados por todo o corpo.

Todos os tratamentos anteriores tinham falhado e os médicos davam a Ian Brooks, de 47 anos, apenas algumas semanas de vida. A nova terapêutica resultou e a doença entrou em remissão completa, ou seja, não há sinais da sua atividade no corpo do doente.

Ian Brooks sofria de Linfoma Não Hodgkin (LNH), que lhe foi diagnosticado em 2001. Numa primeira fase, o doente reagiu bem à quimioterapia, mas a doença regressou em 2008.

O novo tratamento, que tem como base o medicamento Brentuximab Vedotin, destruiu as células cancerígenas potencialmente mortais que o doente tinha no seu organismo. Agora, os seus rins e bexiga já estão a funcionar normalmente. “Eu sabia que precisava de algo bem radical para sobreviver. Não tenho como agradecer ao Serviço Nacional de Saúde e ao hospital. Eles devolveram-me a vida”, explicou Ian Brooks ao ‘Daily Mail’.

O doente começou a sentir melhoras logo 24 horas após o início do tratamento. Este caso de sucesso levou a que a terapêutica passasse a estar disponível para outros doentes na clínica ‘The Christie’.

“O tratamento pode ser administrado rapidamente e tem poucos efeitos secundários. Este é provavelmente o mais impressionante conjunto de exames que já vi. Ian está em remissão e estamos cada vez mais confiantes”, sublinhou o médico Adam Gibb. Ian Brooks foi dispensado, esta semana, do tratamento no hospital.

O QUE É O LINFOMA NÃO HODGKIN?
O LNH é um tumor que tem origem no sistema linfático. Em Portugal, cerca de 1.700 pessoas são diagnosticadas com a doença todos os anos, segundo a Liga Portuguesa Contra o Cancro.

Felpuda


Partido está aos poucos montando a que vem sendo chamada de “chapa do quartel”, pois os pré-candidatos são oriundos da caserna. Há quem diga que os dirigentes da legenda ainda estão querendo pegar carona no “fenômeno Bolsonaro”, esquecendo-se que o presidente, embora vindo da área militar, está na política há 30 anos e o seu programa de governo agradou 57,7 milhões de eleitores. Dizem que tchurminha será obrigada a adicionar mais ingredientes no currículo, senão...