CIDADES

Homem baleado ao tentar evitar roubo de moto no Ana Maria do Couto

Homem baleado ao tentar evitar roubo de moto no Ana Maria do Couto
12/02/2010 08:04 -


Um homem de 46 anos foi baleado ao ajudar o filho de 22 que estava sendo vítima de roubo no Bairro Ana Maria do Couto. O jovem entrava com a moto na garagem de sua residência quando foi abordado por Rafael de Almeida Freita, 20 anos, e Joelson Junior Ataíde de Matos, 22. O crime aconteceu por volta das 20h de quarta-feira. Os dois assaltantes foram presos. Segundo a polícia, Rafael e Joelson estavam em uma moto Honda NXR vermelha, e abordaram o jovem com um revólver. A vítima não resistiu e entregou o veículo a Rafael. No entanto, quando o assaltante ia embora, bateu a moto contra o portão. Pai e filho tentaram conter o ladrão e amarrá-lo. Rafael disparou cinco tiros, sendo que um atingiu o pai da vítima na barriga. Mesmo baleado, ele conseguiu conter o ladrão com a ajuda do filho e de populares. O marginal foi amarrado e a vítima acionou a polícia e Corpo de Bombeiros. O outro assaltante, Joelson, fugiu com a moto, mas acabou sendo detido em uma barreira da Polícia Rodoviária Federal, na BR-262, próximo a Indubrasil. Os policiais descobriram que o veículo utilizado por Joelson havia sido roubado na noite anterior. Conforme a polícia, a moto foi roubada para ser usada em assaltos. A vítima do roubo saiu pelo bairro em busca de Joelson, quando avistou a moto vermelha e afirmou que foi o veículo utilizado pelos assaltantes. Ao se aproximar do local, o jovem viu a blitz e o criminoso e contou sua versão aos policiais. Os assaltantes foram encaminhados ao Centro Especializado de Polícia.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".