Terça, 20 de Fevereiro de 2018

Homem assassinado a facadas perto de bar do Aero Rancho

16 OUT 2010Por MICHELLE ROSSI00h:00



Antônio Inácio da Silva, 31 anos, foi encontrado morto na noite de quinta-feira na Rua Monsenhor Sarriom, Bairro Aero Rancho, em Campo Grande, próximo ao local identificado como Bar dos Amigos. Seu corpo apresentava perfurações de faca no tórax, pescoço, costas e mãos – este, ferimento típico de quem tenta se defender. Ele usava capacete e sua moto foi localizada a uma quadra do lugar onde estava seu corpo.

Uma bicicleta também estava próxima ao cadáver, mas seu dono não foi identificado. Populares disseram que viram dois homens altos, magros, trajando roupa social, evadindo-se do local do crime. Ninguém soube identificá-los.

Depois de ter sido esfaqueado, Antônio ainda bateu na porta de uma moradora do bairro. Segundo relatos da própria testemunha, ao atendê-lo, encontrou-o morto. No bolso da calça de Antônio foram encontrados dois aparelhos de telefone celular, o que faz a polícia acreditar que não houve latrocínio (roubo seguido de morte) – fato verificado também com a motocicleta da vítima que ainda estava no local.

Até o momento não foram apontados suspeitos e possíveis motivos para o homicídio. A vítima não tem passagem pela polícia. O caso está em investigação na 5ª Delegacia da Polícia Civil da Capital.

No interior
No interior do Estado, em Eldorado – a 473 quilômetros de Campo Grande, Edvaldo Galiza dos Santos, 33 anos, foi encontrado morto no porta-malas de seu próprio carro, um Fiat Palio, placas Londrina (PR), que estava estacionado dentro de um canavial a cerca de 15 metros da BR-163.   

A polícia foi acionada por volta das 17 horas de quinta-feira depois que trabalhadores que preparavam a colheita da cana-de-açucar avistaram o carro e viram o corpo, uma vez que o “tampão” comumente afixado no porta-malas dos carros havia sido retirado. Edvaldo apresentava seis perfurações por disparos de arma de fogo – todos na cabeça e na nuca. “Não havia muitas marcas de sangue no carro, o que nos faz suspeitar  que o rapaz deve ter sido morto fora do carro e colocado no interior do veículo apenas para desova”, informa o delegado da Polícia Civil de Eldorado, Elias Pereira, responsável pelas investigações.

Informações preliminares dão conta de que a vítima teria adquirido o carro há 30 dias, com um cheque pré-datado no valor de R$ 12 mil. A quantia ainda não fora descontada pois o cheque não venceu. A vítima não tem passagem pela polícia, e segundo informações, era conhecida na região de Naviraí (MS) – em razão do comércio de veículos – e estaria devendo dinheiro “na praça”. A polícia não apontou suspeitos até o momento.

Leia Também