BATAYPORÃ

Homem acusa ex-mulher de furtar cartão e receber benefício

Homem acusa ex-mulher de furtar cartão e receber benefício
08/03/2011 10:47 - Nova News


Um homem de 75 anos, identificado como F.P.O., residente na cidade de Anaurilândia, teria sido vítima de um golpe aplicado por sua ex-mulher, identificada como V.M.V. residente em Batayporã.

Conforme F.P.O., antes do dia 25 de fevereiro, ele teria vindo à Batayporã para passar dois dias na casa de sua ex-mulher, com quem tem dois filhos portadores de necessidades especiais, retornando para Anaurilândia após este período. Chegando à sua cidade, o homem percebeu o desaparecimento de seu cartão do INSS, usado para sacar o benefício da aposentadoria. Acreditando ter perdido o cartão, a vítima registrou um boletim de ocorrência por extravio.

Após alguns dias, a vítima teria retornado novamente à Batayporã, para visitar a ex-mulher e os filhos, sendo que, nesta ocasião, o cartão do INSS teria “aparecido” novamente em meio aos seus documentos.

Nesta segunda-feira (07) ao comparecer na Agência do Banco do Brasil, para sacar seu benefício, a vítima foi informada, que alguém já havia retirado seu pagamento.

Diante dos fatos, o homem acusa sua ex-companheira de ter subtraído seu cartão, recebido seu benefício e depois recolocado o cartão em meio aos seus documentos. Ainda conforme a vítima, a mulher com quem conviveu por cerca de seis anos, possui a senha, sendo ela a principal suspeita pelo fato.

Após o registro do boletim de ocorrência, a polícia irá investigar o caso.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".