Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

ELEIÇÕES

Heloísa Helena pede afastamento da presidência do PSOL

20 OUT 2010Por folha online11h:30

Após perder a eleição para o Senado em Alagoas, a vereadora em Maceió Heloísa Helena pediu nesta quarta-feira afastamento da presidência nacional do PSOL, mas afirma que continua como militante da legenda.

Em nota divulgada hoje, ela comunica a decisão de "formalizar o que de fato já é uma realidade há meses, diante das alterações estatutárias promovidas pela maioria do DN [Diretório Nacional] me afastando das atribuições da Presidência".

Heloísa Helena enfrentou uma campanha com fortes ataques de seus adversários. Ela afirma ter enfrentado "o mais sórdido conluio entre os que vivem nos esgotos do Palácio do Planalto --ostentando vulgarmente riquezas roubadas e poder-- e a podridão criminosa da política alagoana".

"Em respeito à nossa Militância e aos muitos Dirigentes que tanto admiro e por total falta de identidade com as posições assumidas nos últimos meses pela maioria das Instâncias Nacionais --culminando com o apoio à candidatura de Dilma [Rousseff]-- tenho clareza que melhor será para a organização e estruturação do Partido o meu afastamento e a minha permanência como Militante Fundadora do PSOL, sempre à disposição das nobres tarefas de organização das lutas do nosso querido povo brasileiro! Avante Camaradas!", diz a nota.

O então candidato do PSOL à Presidência, Plínio de Arruda Sampaio, foi para a eleição deste ano sem o apoio da vereadora. Heloísa Helena, que ficou em terceiro lugar na disputa presidencial de 2006, não participou da campanha de Plínio e também não contou com o apoio da maioria do partido em sua campanha.

Ela não declarou apoio, mas fez elogios à então presidenciável do PV, Marina Silva, causando constrangimento ao seu partido. A Executiva Nacional do PSOL decidiu encerrar em janeiro as conversas com o PV para possível apoio à candidatura de Marina. Segundo a direção do partido, o principal motivo do rompimento foi a decisão do PV de se coligar com o PSDB na disputa para o governo do Rio de Janeiro.

A reportagem não conseguiu contato com o PSOL para comentar a decisão da vereadora.

Leia a íntegra da nota de Heloísa Helena:

"1. Agradeço a solidariedade de muitos diante da minha derrota ao Senado (escrevo na primeira pessoa pois sei, como em outras guerras ao longo da história já foi dito "A vitória tem muitos pais e mães, a derrota é orfã!").
Registro que enfrentei o mais sórdido conluio entre os que vivem nos esgotos do Palácio do Planalto --ostentando vulgarmente riquezas roubadas e poder-- e a podridão criminosa da política alagoana. Sobre esse doloroso processo só me resta ostentar orgulhosamente as cicatrizes, os belos sinais sagrados dos que estiveram no campo de batalha sem conluio, sem covardia, sem rendição!

2. Comunico à Direção Nacional e Militância do PSOL a minha decisão de formalizar o que de fato já é uma realidade há meses, diante das alterações estatutárias promovidas pela maioria do DN me afastando das atribuições da Presidência. Como é de conhecimento de todas(os) fui eleita no 2º Congresso Nacional por uma Chapa Minoritária, composta majoritariamente pelo MES e Poder Popular (MTL), em um momento da vida partidária extremamente tumultuado que mais parecia a velha e cruel opção metodológica das lutas internas pelo aparato diante dos escombros de miserabilidade e indigência da nossa Classe Trabalhadora. Daí em diante o aprofundamento da desprezível carnificina política foi ora transparente ora dissimulado mas absolutamente claro!

Assim sendo, em respeito à nossa Militância e aos muitos Dirigentes que tanto admiro e por total falta de identidade com as posições assumidas nos últimos meses pela maioria das Instâncias Nacionais (culminando com o apoio à Candidatura de Dilma!) tenho clareza que melhor será para a organização e estruturação do Partido o meu afastamento e a minha permanência como Militante Fundadora do PSOL, sempre à disposição das nobres tarefas de organização das lutas do nosso querido povo brasileiro! Avante Camaradas!"

Leia Também