domingo, 22 de julho de 2018

SEGURANÇA

Helicóptero da PRF estará à disposição para atender emergências nas eleições

1 OUT 2010Por 10h:01

EVELIN ARAÚJO

A segurança está reforçada em todo o estado nestas eleições. A PRF - Polícia Rodoviária Federal - atuará em dois sentidos, dando apoio ao interior para atender possíveis ocorrências tanto nas rodovias como em qualquer local dos municípios e no trânsito. "Este ano não teremos nenhuma operação específica para atender as eleições mas os 22 postos da PRF serão reforçados", afirma o chefe do Núcleo de Comunicação, Eduardo Samúdio. Em Campo Grande um helicóptero da PRF estará de prontidão para atender qualquer emergência da Justiça Eleitoral.

A Polícia Militar conta com um efetivo de 3.600 policiais, sendo que 2.100 estará pelas cidades do interior e 1.500 na capital. "Os locais de votação em todo o estado têm, no mínimo, dois policiais militares cada e cem viaturas caracterizadas fiscalizam os locais de votação e fazem polciamento ostensivo, além de dez viaturas descaracterizadas para coibir crimes eleitorais e no Quartel do Comando geral permanecem 60 policiais de prontidão para garantir a segurança", disse o tenente-coronel Nelson Antônio da Silva.

Em nota, a Polícia Federal divulgou que todo o efetivo está convocado para atuar neste dia de eleições no estado. A Polícia Federal está nas aldeias indígenas nos municípios de Amambai, Aquidauana, Coronel Sapucaia, Miranda, Douradina, Dourados, Porto Murtinho, Aral Moreira, Caarapó, Sidrolândia, Eldorado, Japorã, Nioaque, Anastácio e Dois Irmãos do Buriti e nas cidades de fronteira como Porto Murtinho e Mundo Novo. Os municípios de Campo Grande, Corumbá, Três Lagoas, Dourados, Naviraí e Ponta Porã serão atendidos pelos policiais das suas respectivas localidades.

A Polícia Civil opera na capital pela DEPAC e CEPOL, ambas com um escrivão cada para reforço no atendimento. O delegado Matusalém Sotolani alega que cerca de 90 policiais civis atuam no interior do estado desde ontem e em conjunto com policiais federais nas aldeias. "As cidades sem delegados ou que estiverem com delegado em férias receberão delegados para substituí-los", declarou.

Leia Também