ESPORTES

Haye e Ruiz duelam pelo título dos pesados

Haye e Ruiz duelam pelo título dos pesados
03/04/2010 23:54 -


Manchester, Inglaterra

O pugilista inglês David Haye defende hoje pela primeira vez o título dos pesos-pesados da Associação Mundial de Boxe (AMB). O duelo será contra o experiente americano John Ruiz, 38 anos, na Manchester Arena, na Inglaterra, às 18h (MS).

Com apenas uma derrota no cartel (23 vitórias), Haye, 29 anos, quer usar a luta contra Ruiz como preparação para tentar acabar com a hegemonia dos irmãos ucranianos Klitschko entre os pesados – Wladimir é campeão da Federação Internacional de Boxe (FIB), Organização Mundial de Boxe (OMB) e da Organização Internacional de Boxe (OIB), enquanto Vitali tem a posse do cinturão do Conselho Mundial de Boxe (CMB).

Ruiz já deteve o cinturão da Associação Mundial em duas oportunidades: a primeira, entre março de 2001 e março de 2003, e a segunda, entre fevereiro de 2004 e fevereiro de 2005.
Campeão da Associação desde que derrotou o gigante russo Nikolai Valuev (2,21 m), em novembro de 2009, o inglês rebateu as críticas da imprensa local de que estava mais pesado e lento desde a luta que lhe valeu o cinturão.

Apesar das críticas a sua condição física, Haye é considerado um dos maiores esportistas da Inglaterra da atualidade, já que é o primeiro campeão britânico dos pesados desde Lennox Lewis, em fevereiro de 2004.
Recentemente, o pugilista apareceu em uma revista produzida para divulgá-lo ao lado do zagueiro do Manchester, Rio Ferdinand, que afirmou que Haye é, provavelmente, o maior ícone esportivo na Grã-Bretanha na atualidade.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".