Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Grupo de Risco promove a saúde por meio de peças

6 ABR 10 - 20h:39

OSCAR ROCHA

 

A partir de amanhã, o Teatral Grupo de Risco mostra uma de suas faces cênicas pelo Estado. Conhecida por montagens que destacam a pesquisa da história de Mato Grosso do Sul, o universo infanto-juvenil e até clássicos do teatro brasileiro, há oito anos a formação ostenta também no repertório representações que destacam questões relacionadas à saúde. São estes espetáculos que farão parte da "Caravana da prevenção", patrocinada pela Secretaria de Saúde do Estado, que percorrerá oito cidades. A estreia será amanhã, às 12h, na Prefeitura do Parque, em frente à Polícia Militar, no Parque dos Poderes.

"Atualmente, temos quatro peças sobre saúde no repertório, cada uma destinada a público específico. Para integrar a caravana, participamos de edital. A primeira apresentação acontecerá na Capital e, depois, seguimos para Três Lagoas e Água Clara, encerrando em agosto", explica a diretora de duas peças, Lú Bigatão.

O Teatral Grupo de Risco é caracterizado pela ação de vários núcleos de diretores e atores, que levam o nome da companhia. "No caso destes espetáculos sobre saúde, alguns integrantes atuam em determinada peça e o restante em outras; no geral, todos estão envolvidos", destaca Lu. A intenção principal dos trabalhos é alertar sobre o contágio das doenças sexualmente transmissíveis (DST/aids).

Deverão ser beneficiadas cerca de três mil pessoas. As peças falam da importância do uso do preservativo na prevenção, os sintomas das doenças, como evitar as DST, o tratamento, sempre de forma alegre e descontraída. O grupo é referência na montagem de espetáculos educativos, atua na prevenção das doenças sexualmente transmissíveis desde 2004 e já realizou apresentações no Chile, Paraguai e Argentina, em diversos estados brasileiros e inúmeras cidades de MS.

Os espetáculos vão percorrer, ainda, Dourados, Ponta Porã, Bandeirantes, São Gabriel do Oeste, Aquidauana e Miranda. As peças são: "Mulheres em cena", com direção de Lú Bigatão, destinada ao público adulto e "O segredo de João Cuiudo", direcionada ao público rural, que fala sobre a importância do uso da camisinha na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. Esta última foi apresentada no Chile, João Pessoa, em assentamentos de MS e conta com a direção de Roma Roman e Arce Corrêa.

A outra intitula-se "E com você como é que é", que incentiva a participação da plateia e é montada segundo as técnicas do Teatro do Oprimido, de Augusto Boal. São três histórias com direção de Roma Roman.

"Entre quatro paredes" é uma peça de bonecos proibida para menores. Ela é direcionada às profissionais do sexo e conta a história de Susy, uma prostituta que luta para fundar uma associação. O trabalho será apresentado em boates e uisquerias. Tem a direção de Lú Bigatão.

"Tratamos cada um dos espetáculos como nossos outros projetos mais artísticos. Tomamos cuidado com a luz, figurino, música e o roteiro. Não é como se fosse uma encenação de escola. Percorremos vários lugares com essas montagens, inclusive ganhamos prêmios em festivais. Por isso fazemos tanto sucesso com esses espetáculos. Quando a gente pensa em parar, sempre aparece outro convite para apresentação".

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Felpuda

BRASIL

Envolvimento de agentes de saúde pode acelerar diagnóstico de câncer

BRASIL

Tratamento para doenças raras precisa de investimentos em pesquisa

BRASIL

Motorista embriagado invade lanchonete, atropela 4 e mata jovem

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião