Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

sábado, 23 de fevereiro de 2019 - 05h50min

Greve de funcionários suspende cirurgias

13 JUL 10 - 15h:01
VÂnya Santos

Enfermeiros da Santa Casa iniciaram, na manhã de ontem, greve por tempo indeterminado e em função disso todas as cirurgias agendadas foram suspensas. O hospital garantiu que medidas cabíveis estão sendo tomadas para que a situação seja resolvida, já que o pronto atendimento é um serviço essencial.
Grevistas reivindicam reajuste salarial de 15%, além da renovação de um acordo firmado com o hospital desde 2005. Segundo, a presidente do Sindicatos dos Trabalhadores na Área da Enfermagem de Mato Grosso do Sul, Helena Delgado, a paralisação de 70% dos 850 servidores não prejudicará o atendimento de urgência, emergência e nos setores de alta complexidade, como Centro de Tratamento Intensivo.
De acordo com Helena, o acordo existente entre as partes é renovado todo ano, em maio, mas no ano passado a Santa Casa negociou os salários dos funcionários somente em dezembro e a categoria teme que o mesmo ocorra em 2010, em função da troca de diretoria. “A Santa Casa não está negociado”, afirmou.
Além do reajuste salarial, que conforme a presidente, não corrige nem o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), os servidores reivindicam a renovação de 36 cláusulas do acordo coletivo 2009 / 2010 e a negociação de sete novos itens, dentre eles, a inclusão dos profissionais no plano de saúde da Santa Casa e melhores condições de saúde e segurança, já que aproximadamente 200 servidores estão afastados do hospital em decorrência de alguma doença.
Atualmente, o salário de um enfermeiro nível médio varia de R$ 540 a R$ 800, enquanto o nível superior é de R$ 2 mil. Helena contou que já solicitou audiência no Ministério do Trabalho e intervenção do Ministério Público Estadual.

Analisando
Conforme assessoria de comunicação da Santa Casa, na última semana a diretoria se reuniu com representantes do sindicato, que apresentaram proposta, no entanto, a instituição está analisando aspectos legais, econômicos e financeiros para saber a dimensão do impacto do reajuste. Quanto ao atendimento, o departamento garantiu que o essencial está sendo mantido e, ontem, não houve reclamação com relação a prestação do serviço.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Deputados militares defendem diferenciação na Previdência
REFORMA

Deputados militares defendem diferenciação na Previdência

Modernização do trânsito deve custar R$ 42 mi em quatro anos
ATÉ 2020

Trânsito da Capital terá R$ 42 milhões

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial deste sábado/domingo: "Cidade em movimento"

ARTIGO

Venildo Trevisan: "Maneira de amar"

Frei

Mais Lidas