Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

R$ 8 MILHÕES

Grêmio vende goleiro Victor ao Atlético-MG

Grêmio vende goleiro Victor ao Atlético-MG
30/06/2012 09:11 - terra


O Grêmio acertou a venda do goleiro e capitão Victor para o Atlético-MG, nesta sexta-feira. A negociação renderá aos cofres da equipe gaúcha R$ 8 milhões. Como parte da negociação, o zagueiro Werley, que estava emprestado, ficará em definitivo no clube tricolor. O bom salário que receberá em Belo Horizonte o influenciou para aceitar a proposta.

Como Grêmio e Atlético-MG se enfrentam no domingo, às 18h30 (de Brasília), no Estádio Olímpico, o goleiro Victor - e por já ter seis partidas no Campeonato Brasileiro - pediu para não enfrentar seu novo clube. O camisa 1 treinou normalmente durante a semana e fez parte do time titular do técnico Vanderlei Luxemburgo no coletivo realizado na tarde desta sexta-feira no Estádio Olímpico. Assim, Marcelo Grohe assume o posto de arqueiro principal da equipe.

Considerado o principal problema da equipe nos últimos anos, o Atlético-MG reforça o setor mais criticado pelos atleticanos. Tanto que o presidente Alexandre Kalil citou a reclamação dos fãs do time mineiro ao anunciar o acerto com o novo reforço. "Torcida mais chata do Brasil, se o problema era goleiro não é mais. Victor é do Galo", postou em seu Twitter.
Em seu novo clube, Victor, 29 anos, terá as sombras de Renan Ribeiro, Lee, Paulo Victor e do antigo titular Giovanni. Contratado para ser titular do Atlético-MG, ele será treinado por Francisco Cersósimo, antigo preparador de goleiros do Grêmio.

É a quinta contratação do Atlético-MG para o Campeonato Brasileiro. Investindo pesado, o presidente Alexandre Kalil contratou o lateral esquerdo Junior Cesar, o astro Ronaldinho e os atacantes Juninho e Jô. Sem ganhar a competição desde 1971, o time começou bem a atual temporada, ocupa a vice-liderança com 13 pontos e está a apenas um do rival e primeiro colocado Cruzeiro.

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.