Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

CHUVAS

Governo viabiliza medidas para pecuária pantaneira

7 ABR 2011Por da redação00h:02

 O Governo de Mato Grosso do Sul, através da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo (Seprotur) e o Banco do Brasil anunciaram cinco medidas de apoio à pecuária pantaneira, prejudicada com as fortes chuvas registradas nos meses de março e abril passado. As medidas já foram viabilizadas e devem atender, em especial, seis municípios do Pantanal e da região Peri-pantaneira, abrangendo cerca de 2.500 produtores.

Quatro das iniciativas estão sendo postas em prática em parceria entre o Estado e o Banco: a linha de financiamento para aquisição de animais de produtores da região; oferta de 'Crédito Rural de Custeio Pecuário' para cobertura de despesas com a remoção de animais e/ou aluguel de pastagens em área de planalto; autorização para remoção temporária de matrizes bovinas financiadas pela 'Linha de Retenção' do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), e prorrogação dos financiamentos rurais, com vencimento previsto para o semestre atual.

Outra importante iniciativa de apoio parte do próprio governo estadual que, através da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), vai autorizar, em situações justificadas, a antecipação ou vacinação dos bovídeos contra febre aftosa no destino.

Recursos

A articulação entre o Estado e o Banco do Brasil está garantindo a retomada da 'Linha de Financiamento Para Aquisição de Animais para Cria, Recria e Engorda' de produtores da região, evitando-se assim a pressão de oferta e conseqüente depreciação dos preços praticados pelo mercado. A ação beneficia pecuaristas, com a possibilidade de financiamento para a movimentação de bovinos oriundos das áreas atingidas pelas enchentes no Pantanal. A retomada da linha de financiamento foi acertada em reunião entre a secretária Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias (Seprotur), e o superintendente Estadual do Banco no Estado, Luiz Alves Pordeus Junior, assim que começaram as inundações.

O teto por beneficiário é de R$ 200.000,00. A taxa de juros para o financiamento é de 6,75% ao ano, com prazo variando de 2 a 5 anos. Conforme acordado entre a Seprotur e o BB, os interessados na venda de animais já podem buscar informações detalhadas nas Agências do Banco do Brasil sobre como proceder para se beneficiar da linha de financiamento. O produtor precisa apresentar comprovante de saldo bovino de sua propriedade localizada na região do Pantanal, documento que é emitido pela Agência de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro).

"Temos adotado algumas iniciativas para a região em parceria com o Estado. Construímos ferramentas a partir do entendimento que o Banco é parceiro do agronegócio e de Mato Grosso do Sul. Entendemos a relevância da situação e por isso pensamos em iniciativas que pudessem apoiar o pantaneiro. Ressaltamos a importância destas medidas e desde já estamos a disposição. Os interessados podem procurar nossas agências para melhor se instruir a respeito das linhas de crédito disponíveis", destaca o superintendente do Banco do Brasil, Luiz Alves Pordeus Junior.

Segundo a secretária Tereza Cristina, essas medidas vem apoiar os produtores rurais da imensa região de criação de bovinos do Estado neste momento em que passa por adversidades motivadas pelas enchentes atípicas no Pantanal de Mato Grosso do Sul. “Representam os esforços de nossas instituições para superação dos problemas imediatos, ora enfrentados pelo homem pantaneiro", ressalta a secretária.

Entre os municípios a serem contemplados com as medidas de apoio estão Corumbá, Miranda, Aquidauana, Rio Verde, Coxim e Porto Murtinho.
 

Leia Também