Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

MINISTRA

Governo vai monitorar peixe importado da Ásia

7 ABR 2011Por g109h:24

A ministra da Pesca e Aquicultura, Ideli Salvatti, afirmou nesta quinta-feira (7) que o governo vai monitorar a importação de pescado proveniente da Ásia. O objetivo é evitar quer peixes possivelmente contaminados por alto índice de radiação emitida pela usina nuclear de Fukushima, no Japão, afetada pelo tsunami do dia 11 de março, entrem no país.

"Estamos bastante alertas, monitorando", disse Ideli, durante entrevista ao programa Bom Dia Ministro, produzido e coordenado pela Secretaria de Imprensa da Presidência da República e transmitido pela NBR TV.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento já haviam informado que a partir desta segunda-feira (4) alimentos vindos do Japão seriam monitorados.

Em relação ao pescado, Ideli afirmou que o monitoramento não vai se restringir somente ao Japão, e será ampliado para os demais países asiáticos. Segundo Ideli, a decisão do Ministério da Pesca foi de "fazer o monitoramento das importações do pescado da Ásia".

"A nossa preocupação no ministério da Pesca é que, diferentemente do produto da agricultura, que vem de um local fixo, então você monitora os produtos que vêm do Japão, no caso do pescado, o monitoramento tem que ser um pouco mais amplo porque o peixinho nada e os barcos de outros países pescam em águas de outros países ou águas internacionais e portanto nós temos que ter um monitoramento um pouco mais amplo", disse a ministra.

Segundo ela, a decisão de monitorar pescado da Ásia foi reforçada "principalmente depois que foi divulgada a contaminação da água em altos níveis e que foram descobertos peixes contaminados já há mais de cem quilômetros da área da usina [de Fukushima], então estamos bastante alertas, monitorando".

Perto da usina de Fukushima foi detectado na água do mar iodo radioativo cinco milhões de vezes acima do permitido. E também foi encontrada radiação em cinco tipos de peixe em uma cidade a 150 quilômetros ao norte de Tóquio.

A Tokyo Electric Power (Tepco), empresa que administra a usina nuclear de Fukushima, informou que vai despejar no Oceano Pacífico cerca de 11,5 mil toneladas de água radioativa acumuladas nas instalações da central. De acordo com a empresa, os índices de radiação na água que será jogada ao mar são aproximadamente 100 vezes acima do normal.

Importação
Segundo Ideli, "o Brasil importa muito pouco pescado do Japão (...) duas mil toneladas, não tem ultrapassado muito isso, e são produtos muitos especiais utilizados em alguns requintes da culinária japonesa".

De acordo com a ministra, "não temos uma grande importação da Ásia, a maior é da China, em torno de 60, 70 mil toneladas por ano, mas nós vamos ter que fazer esse monitoramento sem alarde, está tudo muito controlado, muito bem monitorado".

Ideli afirmou que a possibilidade de que peixe contaminado por radiação chegue ao Brasil "é remotíssima". "Mesmo sendo remotíssima, temos que estar alerta", afirmou. Ela pediu ainda "que todo mundo continue a comer peixe, porque está bem monitorado".

Leia Também