Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Exterior

Governo sobe IOF de cartão pré-pago e saque

28 DEZ 13 - 08h:57folhapress

O governo elevou para 6,38% ante 0,38% a alíquota do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) incidente nos pagamentos em moeda estrangeira feitas com cartão de débito, saques em moeda estrangeira no exterior, compras de cheques de viagem e carregamento de cartões pré-pagos com moeda estrangeira.

O aumento, anunciado pelo Ministério da Fazenda, ocorre a partir de hoje (28) em decisão formalizada em edição extra do "Diário Oficial" da União.

De acordo com nota publicada pelo Ministério da Fazenda, o aumento do IOF visa "conferir isonomia de tratamento às operações com moeda estrangeira realizadas por meio de cartões de crédito internacionais", que também são tributadas pelo IOF em 6,38%.

Meio de pagamento - IOF antigo, em % - Nova alíquota de IOF, em %
Dinheiro - 0,38 - 0,38 (não muda)
Cartão pré-pago - 0,38 - 6,38
Cartão de débito - 0,38 - 6,38
Cheque de viagem - 0,38 - 6,38
Cartão de crédito - 6,38 - 6,38

Na avaliação do governo, com o aumento, evita-se que um meio de pagamento seja preterido por outros em decorrência de sua estrutura de tributação.
Para Reginaldo Galhardo, gerente de câmbio da Treviso Corretora, porém, o objetivo é outro.

"A intenção é conter o consumo do brasileiro no exterior. O governo pode ter percebido que os brasileiros estão utilizando bastante esse instrumento. Mesmo com o aumento do dólar no ano (de 14,7%), estamos batendo recordes de gastos fora do Brasil. Os cartões pré-pagos eram os preferidos dos consumidores pelo imposto menor", diz.

Segundo ele, o governo está tentando recuperar as perdas que ele teve com medidas recentes de incentivo, como a desoneração da folha de pagamento. "A preocupação dele é com a arrecadação. A melhor forma de compensar isso seria com redução dos gastos públicos, mas isso não está nos planos do governo, especialmente com a aproximação do ano eleitoral", acrescenta.

O governo espera arrecadar R$ 522 milhões no ano com a mudança.

Ainda segundo o Ministério da Fazenda, as compras de moeda estrangeira em espécie feitas no mercado de câmbio brasileiro não têm alteração em sua tributação e seguem com alíquota de 0,38%.

Orientações ao consumidor
A alta do IOF eliminou uma das grandes vantagens do cartão pré-pago em relação ao cartão de crédito, afirma o educador financeiro Mauro Calil. "Agora, a grande vantagem do pré-pago, que era o IOF de 0,38% contra 6,38% do cartão de crédito, se anula", diz.

Segundo ele, o consumidor deve analisar outros fatores antes de decidir sobre a forma de levar dinheiro para o exterior. "O que desempata a história é o programa de milhagem do cartão de crédito. Por outro lado, o cartão pré-pago trava o câmbio na hora da compra, então o consumidor foge da flutuação cambial que pode haver no cartão de crédito", diz.

Calil vê ainda como vantagem do cartão pré-pago o fato de limitar os gastos no exterior. "Quando atinge o valor carregado, o consumidor não pode mais gastar. A não ser que recarregue. Já o cartão de crédito ele pode usar enquanto tiver limite", diz. 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ECONOMIA

Índice de Confiança do Empresário Industrial fica estável pelo 3º mês

ECONOMIA

Intenção de consumo das famílias cresce pelo terceiro mês

BRASIL

Governo libera orçamento de universidades federais

BRASIL

Bolsonaro sanciona lei com crédito suplementar para ministérios

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião