Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

CAMPO GRANDE

Governo quer antecipar projeto de expansão do Aerorporto

27 NOV 2010Por Da Redação07h:30

O governador André Puccinelli tenta aprovar junto à Infraero a proposta de antecipar o cronograma de elaboração do Projeto Executivo de expansão do Aeroporto Internacional de Campo Grande. Com mais agilidade nesta fase inicial, as etapas seguintes, de licitação e início de obras também poderão ser feitas em menor prazo.

O objetivo do governador é garantir que a execução efetiva do projeto saia do papel dentro dos próximos quatro anos, tornando irreversíveis a continuidade e conclusão do empreendimento. A ampliação aeroportuária é considerada pela atual administração um projeto prioritário no plano de fortalecimento da infraestrutura logística de Mato Grosso do Sul. Futuramente, o terminal deverá se tornar um Aeroporto Internacional de Cargas estratégico para as Américas.

A área, de 1.381 hectares, adjacente à atual estrutura, já foi declarada de utilidade pública pelo governo do Estado, através de decreto publicado no dia 25 de janeiro de 2010 pelo governador André Puccinelli. Com a medida, o Estado cumpriu a primeira fase do Termo de Cooperação firmado no dia 16 de dezembro de 2009, com a Infraero, e participação do Exército e Aeronáutica. Caberá também ao governo estadual fazer a desapropriação (paga com recursos próprios) e entregar em definitivo a área à Infraero. O governador quer negociar no repasse do terreno um acordo de antecipação de prazos, e uma cláusula reversiva da doação, caso o projeto não saia.

“Com a declaração de utilidade pública, é feito o ‘bloqueio’ e se evita a especulação imobiliária. Agora, queremos que a Infraero reduza o tempo, que não sejam três anos só para fazer o projeto executivo”, explicou o governador, que falou a jornalistas sobre o assunto durante inauguração de obras em uma escola da Capital. “Não há problema em não entregar a obra na nossa administração, o importante é que, quando começar, é inexorável que vai terminar”.

 

Cooperação

Pelo cronograma inicial estabelecido através do acordo firmado há um ano, as ações definidas no convênio deverão ser executadas em 36 meses, sendo que nos primeiros doze meses, antes da fase do projeto executivo, a Infraero cuidaria da revisão do Plano Diretor do aeroporto. Já na época, o governador André Puccinelli pediu um esforço para tentar encurtar esse prazo tanto quanto possível. O presidente da estatal aeroportuária, Murilo Barboza, veio à Capital para a assinatura da parceria, junto com os comandantes da Força Aérea, Juniti Saito, e do Exército Brasileiro, Enzo Peri, e a presidente da Agência Nacional de Aviação Civil, Solange Vieira.

Caberá à Infraero, na área entregue pelo Estado, fazer a construção de duas novas pistas, novo terminal de passageiros, pátio de aeronaves e obras complementares que aumentarão a capacidade do aeroporto e futuramente tornarão a unidade um entreposto de cargas. Estimativa feita pelo chefe do Executivo estadual na ocasião da assinatura do acordo, é de um investimento de cerca de R$ 20 milhões de recursos próprios no pagamento de indenizações aos atuais proprietários da área.

 

Leia Também