MATO GROSSO DO SUL

Governo pretende ampliar linhas aéreas

Governo pretende ampliar linhas aéreas
01/03/2011 12:06 - DA REDAÇÃO


Em reunião realizada na última semana, em São Paulo, com as diretorias das companhias aéreas Trip, Azul, TAM e Passaredo, a vice-governadora de Mato Grosso do Sul, Simone Tebet e a diretora-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, Nilde Brun apresentaram propostas para implantação de linhas aéreas nos municípios de Dourados, Três Lagoas, Bonito e Corumbá, direto de São Paulo.

Conforme a vice-governadora, a iniciativa faz parte da política de governo que visa melhorar os acessos, infraestrutura e a malha aérea do Estado. Simone apresentou estudo de viabilidade econômica dos municípios, na qual demonstram as potencialidades econômica, populacional, infraestrutura e localização.

A diretora-presidente da Fundação de Turismo está confiante na implantação das linhas. “A presença de mais operadoras aéreas de acesso a esses municípios vai contribuir positivamente para o desenvolvimento do turismo do nosso Estado. Estamos confiantes que conseguiremos trazer essas linhas para Mato Grosso do Sul”, disse.

As companhias demonstraram interesse e aguardam a aprovação das propostas de viabilidade do governo do Estado para a operação dos voos. A adequação nas estruturas dos aeroportos nesses municípios é uma delas; a outra solicitação é o incentivo fiscal sobre os combustíveis utilizados nas aeronaves.

Além da vice-governadora, Simone Tebet, e de Nilde Brun, participaram das reuniões o secretário de desenvolvimento econômico de Três Lagoas, Marco Garcia de Souza; o secretário de turismo de Bonito, Augusto Barbosa Mariano; e o representante do Bonito Convention Bureou & Visitors Bureau (BCVB), Rodrigo Coinete.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".