Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Governo não se sentiu acuado por greves, diz advogado-geral da União

Governo não se sentiu acuado por greves, diz advogado-geral da União
01/09/2012 02:00 - terra


Após mais de dois meses enfrentando greve por parte significativa dos servidores públicos federais, o governo avalia que não se sentiu ameaçado pelas paralisações. "Houve greves intensas, mas em nenhum momento o governo se sentiu acuado", afirmou nesta sexta-feira o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams.

O ministro defende que seja regulamentada uma lei que determine limites aos servidores em outros momentos de paralisação. "Não é possível que o direito de greve se sobreponha ao direito das pessoas em geral", avaliou Adams.

Um momento tenso durante a onda de greve dos últimos meses foi a operação-padrão da Polícia Federal em aeroportos. Na ocasião, a própria Presidência da República pediu para que a Advocacia-Geral da União entrasse com processo contra os responsáveis. "Quando se ultrapassou o limite do razoável, o governo soube responder e respondeu à altura", garantiu.

A onda de greve atingiu 54 carreiras e, mesmo argumentando responsabilidade fiscal em meio à crise, o governo cedeu e ofereceu 15,8% de reajuste em um prazo de três anos.

Felpuda


Nos bastidores poderosos, comentários são de que dois pretensos pré-candidatos estão deixando em polvorosa quem tinha quase certeza de que tudo estava em total “céu de brigadeiro”. Assim, enquanto ambos se movimentam aqui e acolá, o lado de lá está pensando no que fazer para evitar futuro confronto. Vale ressaltar que a dupla tem experiência que só no campo de guerra das eleições – e o desempenho não ficou a desejar.