Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

ESTADOS

Governo não quer zerar alíquota do ICMS

11 MAI 2011Por INFOMONEY00h:01

O secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, afirmou, ontem (10), durante seminário na Câmara dos Deputados, que o governo federal não é a favor de zerar a alíquota do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) interestadual, cobrado quando uma mercadoria é produzida em um estado e vendida em outro.

“Inicialmente, o governo federal tinha cogitado zerar a alíquota, mas a gente perderia o controle, a identificação de onde e como a mercadoria importada entrou no País”, disse, segundo a Agência Brasil.

A afirmação de Barbosa não irá agradar os governadores de diversos estados. Na semana passada, durante reunião com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, eles defenderam que o ICMS interestadual fosse zerado, para extinguir a guerra fiscal.

Imposto a 2%
De acordo com o secretário, o governo pretende reduzir o ICMS interestadual para todas as operações de compra e venda, não apenas nas importações, a 2% em até três anos. Vale destacar que tramita no Senado Federal um projeto de resolução que zera a alíquota apenas nos caso de importação.

“Somos favoráveis a reduzir o ICMS interestadual para todas as operações, porque isso diminuiria o espaço para a guerra fiscal”, explicou.

Ele acrescentou ainda que a proposta geral está sendo discutida com governadores e o governo pretende enviar um projeto de lei para reduzir a alíquota a partir de janeiro de 2012, numa regra de transição que duraria até 2014.

Produtos importados
Sobre a alíquota do ICMS que incide sobre os produtos importados, o secretário declarou que o governo propõe a redução dos atuais 12% para 8% em 2012, 4% em 2013 e 2% a partir de 2014.

Para os casos em que o imposto é 7%, nas vendas de mercadorias dos estados do Sul, de São Paulo, do Rio de Janeiro e de Minas Gerais para os outros estados, a alíquota cairia para 4% em 2012 e 2% em 2013.
 

Leia Também