Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

ESCURAS

Governo japonês alerta sobre risco de blecaute em Tóquio

17 MAR 2011Por G107h:31

O governo japonês alertou que um blecaute pode ocorrer em Tóquio nesta quinta-feira (17), reflexo dos problemas de provisão de energia elétrica depois que o terremoto de sexta (11) atingiu e danificou usinas nucleares que abastecem o país e a região da capital japonesa.

O ministro da Indústria, Banri Kaieda, citado pela agência local de notícias “Kyodo”, pediu que as operadoras de trem da área de Tóquio suspendam o serviço.

Enquanto Tóquio começa a se preparar para enfrentar um possível blecaute, cresce a preocupação com as condições da usina nuclear de Fukushima. Helicópteros militares do Japão lançaram água na manhã desta quinta, noite de quarta no Brasil, sobre o complexo, na tentativa de resfriar o superaquecido reator 3 e evitar um desastre de grandes proporções com vazamento de material radioativo.

Inicialmente, as autoridades haviam dito que apenas um canhão de água seria usado na operação. O canhão ainda iria ser usado, para tentar resfriar o reator 4.

Além disso, a Tokyo Electric Power Co. (TEPCO), operadora da usina, que esperava que uma nova linha de transmissão de energia pudesse ser ligada ainda nesta quinta para religar o sistema de refrigeração da usina, o que em tese poderia normalizar a situação na usina.

A usina foi bastante danificada pelo terremoto de magnitude 9 seguido de tsunami, que atingiu a costa noroeste do país no dia 11, provocando mortes, devastando regiões da costa e causando uma crise energética, econômica e humanitária no arquipélago.

A preocupação internacional sobre a situação da usina cresceu ao longo da quarta-feira (16). Os novos acontecimentos na usina, bastante afetada pelo grande tremor são "muito sérios", disse o chefe da agência nuclear da ONU, Yukiya Amano.

O objetivo imediato das autoridades japonesas é resfriar o combustível dos reatores, para evitar um superaquecimento que provoque a emissão de material radioativo danoso à saúde humana.

Leia Também