Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

CORUMBÁ

Governo federal reconhece situação de emergência

3 JUN 2011Por da redação10h:17

O Ministério da Integração Nacional reconhece a situação de emergência no município de Corumbá, após o acidente ocorrido na ponte da BR-262, quando um comboio de barcaças colidiu em uma das estruturas de sustentação. A situação de emergência foi publicada hoje (03), no Diário Oficial da União.

De acordo com o texto da portaria nº 266, de 02 de junho de 2011, a Secretaria Nacional de Defesa Civil reconhece a situação de emergência em “decorrência do desastre relacionado com a danificação ou a destruição de obras-de-arte ou de edificações por problemas de estrutura”.

Para o comandante do Corpo de Bombeiros e coordenador da Defesa Civil de Mato Grosso do Sul, Cel. Ociel Ortiz Elias, o reconhecimento faz parte do processo para a solicitação de recursos. “Havia a necessidade desse reconhecimento para buscarmos recursos. O reconhecimento faz parte do processo e foi aprovado após análise de técnicos do governo Federal” informou o Cel. Ociel.

De acordo com inspeção efetuada por técnicos da empresa responsável pela ponte, o dolfim de proteção da ponte deve ser executado com urgência, uma vez que um novo impacto sobre um dos apoios do vão de navegação poderá causar o colapso do trecho central da ponte, podendo ocasionar a interrupção da travessia rodoviária por um período não inferior a 8 meses.

A ponte está sob interdição parcial, com os veículos cruzando em velocidade máxima de 40 quilômetros por hora e está proibido o tráfego de caminhões carregados com minério de ferro. Também os veículos com mais de três eixos passam com distância mínima de cem metros um do outro.

Em virtude desta situação, o governo do Estado decretou, no dia 12 de maio, situação de emergência no município de Corumbá.

No dia 8 de maio, por volta das 19h30, a ponte sobre o Rio Paraguai, com extensão de 2.185,7 metros, na BR-262, teve sua estrutura comprometida após comboio de 16 barcaças carregadas bater em sua base.

 

Leia Também