Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 23 de setembro de 2018

Governo estava preparado para enfrentar chuva, diz ministra Gleisi

27 DEZ 2013Por terra23h:00

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, afirmou nesta sexta-feira que o governo federal estava preparado para dar resposta à chuva forte do Espírito Santo e de Minas Gerais, que já deixou 41 mortos. O governo considerou rápida a mobilização das Forças Armadas e dos primeiros socorros para atender a população atingida.

"Sim, o governo estava preparado. Desde o ano passado temos um programa integrado com os nossos ministérios, com os Estados e municípios para fazer essas respostas. Tanto que o governo conseguiu mobilizar num curto espaço de tempo as Forças Armadas, a Força Nacional do SUS. Conseguimos liberar recursos para emergência no Espírito Santo, levar os primeiros socorros. Isso tudo facilitou para que chegássemos à população", disse a ministra no Palácio do Planalto.

Gleisi apresentou, em um café da manhã com jornalistas, um mapa de 538 municípios suscetíveis a desastres que são monitorados pelo governo, a maioria no Sul e no Sudeste. A meta é chegar a 821 cidades monitoradas até o fim de 2014.

A ministra ressaltou, no entanto, que é impossível controlar situações naturais, devendo ser prioridade a retirada da população que vive em áreas de risco. "A gente não tem como evitar chuvas, vendavais e não controlamos isso. É uma situação com a qual nós temos de conviver. Assim como o Japão e outros países, você não evita tsunami. O que nós temos de procurar é fazer com que a população que está morando em regiões que possa ser atingida, melhorar a estrutura dessas regiões ou tirar as pessoas dessas regiões", disse.

Nesta semana, a presidente Dilma Rousseff reduziu a burocracia da transferência de recursos a locais atingidos pela chuva com a edição de uma medida provisória. Com a medida, municípios atingidos não precisam elaborar projetos detalhados em casos de emergência. "Não precisa apresentar previamente um projeto detalhado, apresenta um programa detalhado, nós liberamos o recurso e o município tem condições de fazer esse projeto e prestar contas durante a execução", explicou Gleisi.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também