Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

saúde

Governo do Rio diz que "nova dengue" não deve causar pânico

24 MAR 11 - 13h:55r7

O vírus da dengue 4, que chegou ao Estado do Rio de Janeiro, não deve ser sinônimo de pânico para a população, segundo o secretário estadual de Saúde Sérgio Cortez, durante coletiva realizada nesta quinta-feira (24). Isso porque, segundo ele as autoridades de saúde já esperavam a entrada do vírus no Estado, que deve ter vindo da Venezuela.

Duas irmãs de 21 e 22 anos, infectadas com esse sorotipo da dengue, apresentaram os primeiros sintomas no dia 6 de março, mas já se recuperaram e estão evoluindo bem, em sua residência. Como nenhuma das duas pacientes viajou recentemente, a investigação preliminar dos casos aponta para possível transmissão autóctone (dentro do Estado).

Esse tipo de vírus não era registrado no Brasil há 28 anos, mas voltou a circular em agosto do ano passado. Isso serviu de alerta para as autoridades de saúde, pois boa parte da população brasileira, em especial crianças e jovens, não tem imunidade contra esse vírus.

Durante coletiva na manhã desta quinta-feira (24), o secretário afirmou que as autoridades de saúde já esperavam a entrada do vírus no Estado, mas disse que isso não é motivo para pânico.

- Embora tenham sido confirmados os dois casos em Niterói, não há motivo para pânico. Não há registros que o vírus tipo 4 demonstre ser mais agressivo que os demais. Os sintomas e o tratamento são iguais em todos os tipos de dengue.

Os tipos mais comuns do vírus no país são o 1, 2 e 3. Os sintomas das quatro variações são dores de cabeça, no corpo e articulações, febre, diarreia e vômito. O tratamento deve ser a base de repouso, hidratação e não tomar remédios à base de ácido acetil salicílico, que, por ter efeito anticoagulante, pode provocar sangramentos.


Combate ao vírus 4

Dentre as medidas para combater o “novo” vírus, o secretário anunciou uma participação maior dos agentes de saúde, no Plano de Combate à dengue. Ele afirma que as informações têm que ser reforçadas, e os agentes de saúde serão parte integrante, como fonte de informações. Mas disse que o aparecimento do vírus não muda a estratégia do governo de combate ao mosquito.

- O tipo 4 não muda nossa estratégia de combate. Estamos melhorando a cada ano e pactuando com os municípios, tentando diminuir o índice de infestação da larva do mosquito. Enquanto tiver mosquito, existira a possibilidade de transmissão.

O governo conta ainda com apoio da população para combater o vírus.

- O combate deve ser dioturno e todos devem colaborar, denunciar casos de focos em residências vizinhas ou ate mesmo prédios públicos. Só assim podemos tomar as ações necessárias.

O número de casos de dengue no Estado em 2011 já é superior aos anos de 2009 e 2010 juntos, e em quatro municípios já foi decretada epidemia. Por isso, o governo vai lançar a campanha de combate à dengue de 2012 em maio deste ano.

Tipo 4 já infectou 34 pessoas no Brasil

Com os dois registros do Rio de Janeiro, subiu para 34 o número de pessoas infectadas pela dengue tipo 4 desde que essa variação do vírus voltou a circular pelo país. Em 2010 foram 11 casos e neste ano já foram 23 casos.

Os Estados que confirmaram casos da doença foram: Amazonas (11 casos), Pará (3), Bahia (2), Piauí (1) e Roraima (15, sendo 11 em 2010 e 4 em 2011).

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Segunda Turma do STF nega a Lula suspeição de Moro na ação do Instituto

BRASIL

Maia: pacote anticrime está 'quase maduro' e poderá ser votado em algumas semanas

BRASIL

EUA estão preocupados com impacto de incêndios na Amazônia

Incêndio assusta no Parque dos Poderes
CAMPO GRANDE

Incêndio assusta no Parque dos Poderes

Mais Lidas