Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

DEMANDA PRODUTIVA

Governo de MS busca investimento ferroviário

4 FEV 2011Por DA REDAÇÃO05h:07

O governo do Estado, com apoio parlamentar, articula junto ao Ministério dos Transportes investimentos ferroviários para integrar modais, dar suporte ao escoamento da crescente produção industrial e colocar Mato Grosso do Sul na rota dos traçados já previstos para o sistema ferroviário nacional. O assunto foi discutido ontem em Brasília, pelo governador André Puccinelli, o secretário estadual Carlos Alberto Menezes e o deputado federal Edson Giroto, em reunião com o ministro dos Transportes Alfredo Nascimento.

Após essa reunião conversaram também com o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestre (ANTT), Bernardo Figueiredo, para explicar a importância da malha ferroviária nacional estar interligada ao Estado, como forma de otimizar e baratear o escoamento da produção industrial e também atender às demandas da agropecuária.

De acordo com informações repassadas pelo deputado Giroto, a ANTT vai estudar alteração no traçado da malha ferroviária brasileira para atender a demanda produtiva de Mato Grosso do Sul, tanto da Região do Bolsão quanto da Região de Dourados. Serão aproveitados investimentos previstos no Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2) para o setor de forma a integrar o Estado ao sistema nacional para transporte de cargas.

Giroto afirmou que a intenção nas duas reuniões foi mostrar a importância da interligação do sistema ferroviário brasileiro a Mato Grosso do Sul, com ramais ligados a Ferrovia Norte-Sul e também a estrutura ferroviária das regiões Sudeste e Sul. “Esta interligação vai possibilitar que a produção sul-mato-grossense tenha um sistema de transporte de cargas que envolverá as malhas rodoviária, ferroviária e hidroviária nacionais”, destacou o deputado.

Para o governador André Puccinelli, a construção de linhas ferroviárias no Estado vai possibilitar atender uma maior produção, com as indústrias que estão se instalando no território sul-mato-grossense, e também beneficiará toda a cadeia produtiva da agropecuária.

O novo traçado da malha ferroviária nacional que a ANTT vai estudar será para atender os municípios das regiões do Bolsão e de Dourados, interligando as ferrovias do Estado com a Ferrovia Norte-Sul, a Ferroeste e com os ramais de São Paulo, que também estarão ligadas as demais malhas do País. Atualmente, no Brasil, são 29.637 quilômetros de ferrovias reguladas pela ANTT.








 

Leia Também