Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

ENFRENTAMENTO

Governo criará mais leitos para drogados com investimentos de R$ 100 milhões este ano

5 NOV 2010Por DANIELLA ARRUDA e THIAGO GOMES00h:00

Cerca de R$ 100 milhões deverão ser investidos até o fim deste ano, pelo Governo federal, na criação de aproximadamente seis mil novos leitos para tratamento de dependentes químicos no Brasil, enquanto outros R$ 100 milhões serão destinados à implantação de centros de referência e capacitação de pessoal nos municípios, visando a promoção da reinserção social desses pacientes após a passagem pelo tratamento. As informações são do secretário nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), general Paulo Roberto Yog de Miranda Uchoa, que esteve ontem em Campo Grande para participar do Fórum Estadual sobre Drogas.

Não foi divulgado quantos leitos e unidades de atendimento psicossocial vão beneficiar Mato Grosso do Sul, até mesmo porque são necessárias apresentação de projetos e habilitação, porém, de acordo com o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, essas demandas deverão ser contempladas no Plano Estadual de Políticas Públicas Antidrogas, que será instituído com base nas propostas apresentadas pelos participantes do fórum.

O fórum estadual termina hoje, na Capital, e reúne cerca de 120 conselheiros e delegados dos conselhos municipais antidrogas de todo o Estado. "Vamos ver as políticas nacionais da Secretaria Nacional Antidrogas, o que for tirado deste fórum de políticas estaduais e depois então partiremos para a execução", informou.

Leitos
Conforme a Senad, pelo menos 2,5 mil leitos para usuários de crack e outras drogas serão disponibilizados em hospitais gerais, integrantes da rede local de serviços de saúde, especialmente para tratamento de intoxicação aguda, quadros de abstinência e complicações clínicas e/ou psíquicas associadas.

Outros 2,5mil leitos serão implantados em comunidades terapêuticas (centros de internação), que constituem serviços de acolhimento, em regime de residência a pessoas com transtornos decorrentes do uso ou abuso de drogas.

Serviços
Paralelamente, será promovida a ampliação dos serviços de atenção. A fim de aumentar a capacidade de atendimento municipal, serão destinados R$ 30,4 milhões para a implantação de 50 novos Caps AD (álcool e drogas) III, para funcionamento 24 horas, todos os dias da semana, com 600 novos leitos para internação.

O Caps AD 24 horas é um serviço que promove o acompanhamento clínico, o tratamento ambulatorial e a internação de curta duração de pessoas com transtornos relacionados ao uso de crack e outras drogas.

Esta nova modalidade de serviço atenderá a municípios de grande, médio e pequeno porte. Cada serviço será responsável por uma população em torno de 200 mil habitantes. Municípios pequenos poderão se juntar para a implantação de Caps AD III regionais.

Acolhimento
Ainda de acordo com a Senad, dentro do programa de enfrentamnto está prevista a construção de 40 Casas de Acolhimento Transitório (CAT), equipadas com 520 novos leitos psiquiátricos totais, onde serão investidos R$ 16,8 milhões. Esse serviço é destinado a abrigar, em período integral por até 40 dias, usuários de crack e outras drogas em situação de vulnerabilidade social e risco ou excluídos do convívio familiar.

O encaminhamento ao CAT deverá ser feito, prioritariamente, pela Rede de Atenção Psicossocial (CAPSad), sempre articulada com a rede de assistência social.

Nos municípios com até 20 mil habitantes, serão estruturados 225 Núcleos de Apoio à Saúde da Família – (NASF). No âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), será constituído por equipes de profissionais de saúde e agentes comunitários treinados para realizar a primeira abordagem e intervenção junto a usuários de drogas, cujo investimento totalizará R$ 16,2 milhões, objetivando o incentivo aos pequenos municípios para a estruturação da rede básica de atenção à saúde.

Leia Também