PONTE RIO PARAGUAI

Governador pede ressarcimento de <br>R$ 87,4 milhões

Governador pede ressarcimento de <br>R$ 87,4 milhões
12/07/2012 00:00 - Gabriel Maymone


Em reunião na manhã de ontem (11) com a ministra de Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, o governador André Puccinelli solicitou o ressarcimento de R$ 87,4 milhões pela ponte sobre o Rio Paraguai, na BR-262.

A discussão sobre a transferência da responsabilidade pela ponte para a União surgiu após acidente no dia 8 de maio do ano passado, quando um comboio de 16 barcaças carregadas bateu na estrutura da ponte de 2.185,7 metros. À época foi estimado que o custo para recuperar os danos seria de R$ 14,2 milhões, por isso o Governo estadual recorreu ao Governo federal e a Consultoria Jurídica (Conjur) do Ministério dos Transportes deu parecer em que afirmava que o Governo federal poderia fazer a recuperação dos estragos, mesmo com a delegação da ponte a Mato Grosso do Sul em 1997. 

Mesmo com este parecer, existe divergências no Governo federal sobre a liberação dos recursos para recuperar a ponte sob responsabilidade do governo estadual. Por isso foi cogitada a devolução da ponte à União com o ressarcimento do financiamento feito em 1998 para construção da obra. “Pedi o ressarcimento de R$ 87,4 milhões para ser aplicado em educação”, enfatizou Puccinelli após reunião com a ministra, detalhando que para tanto apresentou um plano de trabalho especificando onde o dinheiro será aplicado.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".