domingo, 22 de julho de 2018

Opinião Pública

Governador é o quinto no ranking dos mais aprovados

19 NOV 2010Por Fernanda BRigatti04h:33

O governador André Puccinelli (PMDB) é o quinto colocado em um ranking elaborado pelo Institudo Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) em que relaciona o índice de aprovação da administração com o sucesso nas urnas na reeleição. Dos dez primeiros colocados na lista, sete dos bem avaliados pela população foram reeleitos, dois apoiaram candidatos vencedores e apenas um perdeu.

O cálculo feito pelo Ibope demonstra a influência de bons índices de aprovação na sucessão estadual. A conta do instituto somou as avaliações de "bom" e "ótimo" e subtraiu o somatório de "ruim" e "péssimo". Esse resultado foi chamado de saldo, a diferença entre as melhores e piores classificações. André Puccinelli, em quinto lugar, teve 52 pontos de saldo. O critério de desempate utilizado pelo Ibope foi o índice de aprovação "ótimo" de cada candidato. No caso de Puccinelli, esse número era 15.

O político cuja relação entre a aprovação da administração e o resultado da eleição é mais alta foi de Paulo Hartung (PMDB), governador do Espírito Santo. O peemedebista não foi candidato, mas sua alta aprovação, cujo saldo foi de 73, segundo o índice, resultou na eleição de Renato Casagrande (PSB), apoiado por ele.

Depois dele, os sete candidatos melhores colocados conquistaram a reeleição. Antes de Puccinelli, aparecem Eduardo Campos (PSB-PE), Omar Aziz (PMN-AM) e Antonio Anastasia (PSDB-MG). Cid Gomes (PSB-CE) teve a mesma pontuação que Puccinelli, mas o saldo de avaliaçõs "ótimo" do governador de Mato Grosso do Sul, colocando-o a frente.

Entre os dez melhores colocados no ranking dos governadores, somente João Cahulla (PPS-RO) não se reelegeu. Ele teve 43 pontos no ranking, registrou número 7 na avaliação "ótimo", mas foi derrotado nas urnas. Ele perdeu no segundo turno para Confúcio Moura (PMDB).

A coluna Vox Publica, do Estadão, ainda analisou ontem, que dos 16 governadores que tiveram saldo maior que 30 pontos no ranking dos governadores, 14 foram reeleitos ou elegeram sucessores. Dos dez últimos colocados, seis perderam a disputa. O ranking do Ibope leva em conta as últimas pesquisas de avaliação de governo realizadas antes do primeiro turno das eleições deste ano.

Leia Também