Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 13 de novembro de 2018

Google rejeita apagar vídeo critico a candidato e defende internet livre

15 AGO 2012Por terra07h:00

O Google Brasil confirmou que recorrerá da multa de R$ 30 mil aplicada pela Justiça Eleitoral de Alagoas por não ter retirado do Youtube um vídeo considerado ofensivo à imagem e a honra do candidato à prefeitura de Maceió, Ronaldo Lessa (PDT).

Em nota, o Google afirmou que recorreu da decisão do juiz da 54ª zona eleitoral de Maceió, Domingos de Araújo Lima Neto, por "entender que ela viola a liberdade de expressão constitucionalmente assegurada a cada cidadão".

A liminar foi concedida a Lessa após o candidato entrar na Justiça contra vídeos publicados no Youtube que o associam à imagem de candidato "ficha suja" e ultrapassado. Segundo Neto, o valor da multa foi estabelecido por conta do tamanho da empresa e de seu impacto em todo o mundo, o que, no entender do juiz, aumenta a repercussão e os danos à candidatura.

"O Google acredita que os eleitores têm direito a fazer uso da internet para livremente manifestar suas opiniões a respeito de candidatos a cargos políticos, como forma de pleno exercício da democracia, especialmente em períodos eleitorais", finaliza a nota.

O juiz ainda pediu na sentença uma aplicação de multa diária no valor de R$ 50 mil do dia seguinte à publicação da decisão, caso o vídeo não seja retirado.

O recurso será apresentado no Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE-AL).

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também