Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Google rejeita apagar vídeo critico a candidato e defende internet livre

15 AGO 12 - 07h:00terra

O Google Brasil confirmou que recorrerá da multa de R$ 30 mil aplicada pela Justiça Eleitoral de Alagoas por não ter retirado do Youtube um vídeo considerado ofensivo à imagem e a honra do candidato à prefeitura de Maceió, Ronaldo Lessa (PDT).

Em nota, o Google afirmou que recorreu da decisão do juiz da 54ª zona eleitoral de Maceió, Domingos de Araújo Lima Neto, por "entender que ela viola a liberdade de expressão constitucionalmente assegurada a cada cidadão".

A liminar foi concedida a Lessa após o candidato entrar na Justiça contra vídeos publicados no Youtube que o associam à imagem de candidato "ficha suja" e ultrapassado. Segundo Neto, o valor da multa foi estabelecido por conta do tamanho da empresa e de seu impacto em todo o mundo, o que, no entender do juiz, aumenta a repercussão e os danos à candidatura.

"O Google acredita que os eleitores têm direito a fazer uso da internet para livremente manifestar suas opiniões a respeito de candidatos a cargos políticos, como forma de pleno exercício da democracia, especialmente em períodos eleitorais", finaliza a nota.

O juiz ainda pediu na sentença uma aplicação de multa diária no valor de R$ 50 mil do dia seguinte à publicação da decisão, caso o vídeo não seja retirado.

O recurso será apresentado no Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE-AL).

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Bolsonaro veta bagagem gratuita em voos domésticos, diz Planalto
FRANQUIA

Bolsonaro veta bagagem gratuita em voos domésticos, diz Planalto

Especialistas debatem sanidade na produção de suínos
SUINOCULTURA MS

Sanidade é tema de evento sobre produção de suínos

Drogas e bebidas matam três indígenas por semana
EM DOURADOS

Drogas e bebidas matam três indígenas por semana

Hackers devem ser presos, diz ministro do STF sobre invasão de celular
MENSAGENS VAZADAS

Hackers devem ser presos, diz ministro do STF sobre invasão de celular

Mais Lidas