Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Google divulga manual de "boas maneiras" para o Google Glass

Google divulga manual de "boas maneiras" para o Google Glass
20/02/2014 04:00 - r7


O Google publicou uma lista do que fazer e o que não fazer com o Google Glass. O texto é direcionado aos  exploradores, pessoas que usam os óculos e participam do programa Explorer. Com o projeto, a empresa americana espera melhorar sua invenção.

O Google quer que os usuários dos óculos aproveitem o seu poder para melhorar seu cotidiano. Isso inclui se libertar dos smartphones.

— O Glass te dá mais controle da tecnologia e te deixa livre para olhar para cima e se engajar no mundo ao redor em vez de ficar distraído olhando para baixo.

No comunicado, o Google também encoraja os exploradores para que gastem mais tempo usando e explorando os recursos dos óculos. A empresa quer que os usuários tirem vantagem dos comandos de voz do dispositivo para controlar o aparelho e bloqueá-lo para impedir que outros o acessem sem permissão.

Permissão, inclusive, é um tema importante para o Google. Antes de lançar os óculos, a empresa quer “assustar” os futuros usuários com a questão, deixando claro que as atitudes de alguns exploradores são mal vistas.

— Ficar sozinho em um canto da sala olhando para as pessoas enquanto as grava com o Glass não vai te trazer mais amigos.

A empresa não se intimidou e usou o rótulo de “Glasshole” para definir alguns participantes do programa Explorer. A palavra é uma brincadeira com o termo “asshole”, que significa algo como “bundão” em inglês.

O Google justificou que o uso errado do dispositivo pode não atrair a curiosidade dos empresários.

— Quebrar as regras ou ser rude não vai animar os negócios para o Glass.

Em vez de criar situações constrangedoras ou passar má impressão, o Google quer que seus exploradores sejam expositores do Glass e seu potencial.

Felpuda


As pré-candidaturas bizarras estão se espalhando nas redes sociais, nos perfis de quem acredita que esse tipo de “campanha eleitoral” poderá resultar em votos e até levar à conquista de uma vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. Se antes isso era visto apenas no horário eleitoral na TV, agora está se espalhado como erva daninha nas redes. Como diria vovó: “Esse povo ainda se acha!” Afe!