Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Google: carros sem motorista serão modo de transporte dominante

Google: carros sem motorista serão modo de transporte dominante
13/07/2012 21:00 - TERRA


O presidente do Google, Eric Schmidt, afirmou durante a conferência da empresa de investimentos Allen & Co., que acontece até sábado nos Estados Unidos, que os carros sem motorista "devem se tornar o modo predominante de transporte em nosso tempo". O executivo afirmou que o carro desenvolvido pelo Google ainda enfrenta desafios, mas que a companhia já conversa com todos os fabricantes globais de automóveis.
"O principal problema hoje é que ele roda dentro do limite de velocidade, e ninguem dirige dentro do limite de velocidade", afirmou Schmidt, dizendo que esse é um dos motivos pelo qual o carro ainda não está pronto para entrar em produção.

Schmidt revelou detalhes sobre o funcionamento do carro: os usuários digitarão o endereço de destino em um sistema mais avançado do Google Maps, que sempre haverá uma pessoa sentada no banco do motorista, em frente a um grande botão vermelho de desligar. O carro funcionaria de modo semelhante ao piloto automático de aviões, sempre com um ser humano em espera para emergências.

O carro sem motorista do Google usa câmeras de vídeo montadas no teto, sensores de radar e uma mira a laser para enxergar outros carros e obstáculos no trânsito. Segundo a companhia, o veículo já rodou milhares de quilômetros em testes. O estado americano de Nevada já concedeu uma licença para que o Google a faça testes do seu veículo sem motorista em vias públicas. O veículo usado no teste tem uma placa especial, com fundo vermelho e um símbolo de infinito.

A conferência em que Shcmidt falou sobre o carro existe há 30 anos e é organizada pela empresa de investimentos Allen & Co, tem consistentemente atraído executivos poderosos dos setores de mídia e tecnologia e deu origem a grandes acordos como a aquisição de US$ 19 bilhões da Cap Cities/ABC pela Disney em 1995.

Felpuda


Certa pré-candidatura à Prefeitura de Campo Grande nasceu com grandes brechas que certamente serão usadas pelos adversários no período da campanha eleitoral, segundo voz corrente nos bastidores políticos. Uma delas: como o postulante vai dizer que fará boa administração se no período em que administrou conhecida instituição passou boa parte do tempo reclamando de crise financeira e ameaçando fechar as portas?