Goleiro Bruno volta a receber visita íntima da noiva após punição

Goleiro Bruno volta a receber visita íntima da noiva após punição
05/08/2012 09:31 - terra


A punição que cortava os benefícios do goleiro Bruno Fernandes, acusado da morte de Eliza Samudio, chegou ao fim e, neste sábado, ele recebeu a visita da noiva, Ingrid Oliveira na Penitenciária Nelson Hungria. Segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), ontem o atleta fez um banho de sol por um pequeno período e, na segunda-feira, deve voltar ao seu trabalho no presídio.

Bruno teve os banhos de sol, as visitas e o trabalho suspensos por 20 dias, após enviar uma carta a um programa de televisão sem a devida autorização. De acordo com a Seds, o goleiro "cometeu erro disciplinar ao ignorar as regras de segurança do Complexo Penitenciário Nelson Hungria e enviar, fora dos trâmites legais, uma carta ao público externo à unidade, por meio de seu advogado".

Neste sábado, Bruno recebeu a noiva em uma cela separada. Segundo a Seds, a remuneração pelo trabalho que o atleta faz, de limpeza do presídio, será descontada em função do tempo em que ele ficou parado. Bruno recebe três quartos de salário mínimo. Os 20 dias de suspensão também não contarão para a redução da pena do atleta.

Na carta que gerou a punição, enviada à TV Alterosa, em Belo Horizonte, o goleiro negou envolvimento na morte de Eliza Samudio, ex-amante dele, que desapareceu em 2010. "Estou pagando já dois anos de prisão por um possível crime que não cometi e nem ordenei". O goleiro ainda reafirmou o compromisso de criar o filho que Eliza dizia ser dele. "O Bruninho tem, sim, um pai, sempre teve, e vou honrar esse compromisso perante a sociedade," escreveu ele.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".