Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

DECISÃO

Goiás é vice da Sul-Americana e Grêmio vai para a Libertadores de 2011

9 DEZ 2010Por ESTADÃO00h:50


Definitivamente o Goiás não tem motivos para lembrar de 2010 com bons olhos. Depois de ser rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro, o time do Centro-Oeste viu o título da Copa Sul-Americana escapar de suas mãos ao perder por 3 a 1 no tempo normal e na prorrogação e depois por 5 a 3 na disputa de pênaltis diante do Independiente, nesta quarta-feira, no Estádio Libertadores da América, em Avellaneda, na Argentina.

A equipe brasileira podia perder por até um gol de diferença, já que venceu o primeiro confronto, na semana passada, em Goiânia, por 2 a 0. No entanto, sua comodidade acabou logo nos primeiros 45 minutos, tempo suficiente para os argentinos tirarem a desvantagem. Apesar do domínio brasileiro, o placar não foi alterado durante a etapa final e toda a prorrogação, e a decisão foi para os pênaltis, em que os anfitriões foram mais eficientes. "É uma frustração enorme, difícil de aceitar, por tudo que passamos no ano", lamentou o atacante Rafael Moura.

Com o resultado, o Independiente quebrou um jejum de 15 anos sem títulos internacionais, além de ter garantido sua vaga e também a do Grêmio na Copa Libertadores de 2011. O time gaúcho, quarto colocado do Brasileiro, disputará a seletiva para a fase de grupos em dois jogos contra o Liverpool, do Uruguai.

Inexperiência à parte, o Goiás até que começou bem sua primeira decisão internacional, trocando passes no campo e ataque e esfriando a temperatura do jogo. Teve, inclusive, a primeira chance de gol nos pés de Douglas, que recebeu na área e isolou. A partir daí, no entanto, o time brasileiro sofreu com o jogo aéreo dos argentinos e abusou dos erros numa partida decisiva.

As jogadas ensaiadas pelo alto foram um terror para os goianos. Aos 19 minutos, após bola erguida na área, a bola sobrou para o zagueiro Matheu, que obrigou Harlei a fazer grande defesa. A bola, no entanto, sobrou limpa para Velázquez, sozinho à frente do gol, empurrar para a rede e abrir o placar.

A impressão era de que o estádio viria abaixo com a loucura argentina, mas o Goiás foi rápido e preciso na resposta para esfriar os ânimos. Três minutos depois, Wellington Saci levantou e Rafael Moura cabeceou no contrapé do goleiro para marcar seu oitavo gol e garantir a artilharia na Sul-Americana.

O empate tinha tudo para devolver a tranquilidade ao Goiás, mas o acaso não deixou. Aos 26, o zagueiro Ernando interceptou uma enfiada na área para Rodríguez, mas a bola bateu em Parra, que estava à sua frente, e encobriu Harlei: 2 a 1. Logo em seguida, mais uma falha incrível da defesa goiana. O mesmo Parra dividiu pelo alto com Marcão e, após cair, desviou ainda sentado no canto esquerdo de Harlei para fazer o terceiro gol.

O Goiás finalmente mudou de postura na etapa final. Teve mais posse de bola e não se inibiu em agredir o adversário. Encurralou o Independiente, que viu sua torcida se calar. Rafael Moura perdeu uma chance incrível aos 18, quando invadiu a área, deixou dois zagueiros no chão e bateu em cima de Navarro. Em noite inspirada, o artilheiro ainda obrigou Navarro a fazer outra grande defesa aos 39 e desperdiçou mais uma boa oportunidade aos 44.

O domínio brasileiro se estendeu na prorrogação. Logo no começo do primeiro tempo, Felipe, que havia substituído Otacílio Neto, bateu de fora da área e Navarro espalmou com a ponta dos dedos para evitar o gol. Na etapa final, Rafael Toloi acertou a trave após cruzamento de Rafael Moura. Marcão ainda teve um gol corretamente anulado por impedimento.

Na decisão por pênaltis, Felipe errou a trave em sua cobrança e o Independiente converteu todas as suas, fechando a disputa em 5 a 3.

FICHA TÉCNICA:

Independiente 3 (5) x 1 (3) Goiás

Independiente - Navarro; Velázquez, Tuzzio e Matheu; Cabrera, Battión, Fredes (Maxi Velázquez), Nico Martinez (Gomez) e Mareque; Pato Rodríguez (Gracián) e Parra. Técnico - Antonio Mohamed.

Goiás - Harlei; Ernando, Rafael Toloi e Marcão; Douglas (Everton Santos), Amaral, Carlos Alberto, Marcelo Costa e Wellington Saci; Otacílio Neto (Felipe) e Rafael Moura. Técnico - Arthur Neto.

Gols - Velázquez, aos 19, Rafael Moura, aos 22, e Parra, aos 26 e aos 34 minutos do primeiro tempo.

Pênaltis - Rafael Toloi, Everton Santos e Rafael Moura marcaram para o Goiás e Felipe errou; Maxi Velázquez, Parra, Gracián, Matheu e Tuzzio marcaram para o Independiente.

Árbitro - Oscar Ruiz (Colômbia).

Cartões amarelos - Tuzzio, Matheu, Velázquez, Otacílio Neto, Rafael Moura, Navarro e Rafael Toloi.

Local - Estádio Libertadores da América, em Avellaneda (Argentina).


.

Leia Também